Residentes no concelho de Avis tradicionalmente mais participativos nas legislativas

As Nações Unidas assinalam a 15 de Setembro o Dia Internacional da Democracia. Numa análise dos resultados eleitorais para as legislativas desde 1976, os residentes no concelho de Avis são os que apresentam maior taxa de participação eleitoral, mas não nos últimos anos.

Grupo Marktest,  13 setembro 2016

Desde 2007 que as Nações Unidas assinalam o dia 15 de Setembro como o Dia Internacional da Democracia, tendo selecionado para as comemorações deste ano o tema "Mobilizar os Jovens Para a Democracia".

Este dia motiva-nos a olhar para o nosso país, com base nos resultados eleitorais da Direção Geral da Administração Interna disponíveis no sistema de geomarketing Sales Index da Marktest e na sua aplicação web Municípios Online.

Desde 1975 realizaram-se em Portugal 15 atos eleitorais para a Assembleia da República (em 1975 para a Assembleia Constituinte).

Nestes 40 anos, a taxa de participação eleitoral baixou quase 40%. Se na primeira eleição em democracia 91.66% dos inscritos foram votar, em 2015 apenas 55.86% o fizeram, o que constitui o valor mais baixo de sempre.

A tendência de queda apenas não se verificou em dois momentos, em 2002 e em 2005, quando a participação aumentou 0.6% e 4.5% relativamente à eleição anterior.

Neste período, a maior taxa de participação ao nível do concelho registou-se mais vezes no concelho de Avis, que mostrou sempre uma taxa entre 10 a 20 por cento acima da média nacional (oscilando entre 94.2% e 79.0%) entre 1976 e 1995.

Mas esta tendência alterou-se nos últimos anos, altura em que os residentes no concelho do Sardoal têm registado a participação eleitoral mais elevada, acima dos 70% nos anos de 2005, 2011 e 2015. Nas eleições de 1999 e 2002 haviam sido os residentes no Corvo a ocupar essa posição (75.73% e 73.22%), um lugar que em 2009 pertenceu aos residentes em Portimão (77.85%).

No último ato eleitoral, a 4 de Outubro de 2015, os residentes em Vila de Rei estiveram também entre os mais participativos (70.43% face aos 70.47% de Sardoal), assim como os residentes em Mação, Vila Velha de Ródão e Avis (com taxas entre os 66.64% e os 68.78%).

Neste último ano, os residentes em Vila Nova de Paiva, Lagoa (Região Autónoma dos Açores), Vila Franca do Campo, Ribeira Grande e Melgaço foram, pelo contrário, os mais afastados das eleições, com taxas de participação entre os 32.88% e os 37.96%.

Nestas eleições, em 75 dos 308 concelhos do país a taxa de participação eleitoral não atingiu 50%, em 170 concelhos situou-se entre 50% e 60% e em 63 concelhos superou esse valor.

O gráfico seguinte mostra o posicionamento dos concelhos do Continente face a 3 variáveis: no eixo horizontal, a taxa de participação nas eleições legislativas de 2015 e, no eixo vertical, o índice de poder de compra. A dimensão dos círculos corresponde à população residente e as cores dos círculos representam as regiões Marktest a que pertencem os concelhos. Clicando na legenda podem retirar-se ou adicionar-se concelhos.

Esta análise foi realizada com base em informação disponível na aplicação Municípios Online. Contacte-nos para mais informações sobre este assunto.

Estudos sobre os Concelhos/Regiões

Do mesmo tema: Estudos sobre os Concelhos/Regiões

O Grupo Marktest autoriza a reprodução desta notícia nos meios de comunicação social desde que indicada a fonte: Grupo Marktest e outras fontes por ele citadas

Notícias recentes

Notícias da mesma semana

Antigas

Era notícia há um ano
Era notícia há dois anos
Era notícia há três anos

Arquivo

24 março 2017