Classe alta com mais afinidade com a rádio

Uma análise dos dados do estudo Bareme Rádio da Marktest evidencia que as classes mais elevadas são quem tem mais afinidade com o meio rádio.

Grupo Marktest,  1 agosto 2017

O estudo Bareme Rádio da Marktest quantifica, no primeiro semestre de 2017, em 6 milhões e 646 mil o número de residentes no Continente com 15 e mais anos que ouviram rádio numa base semanal.

Este valor corresponde a 77.6% dos residentes no Continente com 15 e mais anos.

Em termos médios, cada português ouviu, ao longo do semestre, 3 horas e 7 minutos de rádio por dia. Este valor apresenta, no entanto, variações conforme o género, a região, a idade ou a classe social dos indivíduos.

Os homens, os indivíduos mais jovens, assim como os pertencentes às classes sociais mais elevadas são quem apresenta consumos acima da média do universo, revelando assim mais afinidade com o meio rádio (afinidade acima de 100%).

A análise tem como base os resultados do primeiro semestre de 2017 do estudo Bareme Rádio da Marktest, que analisa o comportamento dos residentes no Continente, com 15 e mais anos, relativamente ao meio rádio. Contacte-nos para mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Em Agenda

Estatísticas Oficiais, um Bem Público
Conferência realizada no âmbito da celebração do Dia Europeu da Estatística.
Salão Nobre do Ministério das Finanças, Lisboa, 20 de outubro de 2017,
Ciclo de Conferências José Rousseau
Espaço destinado ao debate e networking acerca do retalho e grande distribuição. O principal orador é o professor de marketing José Rosseau.
Universidade Católica Portuguesa, Lisboa, 31 de outubro de 2017,

mais acontecimentos em Agenda