Newsletter nº 86 - 31 dezembro 2003

Balanço dos Acontecimentos
Na semana de 11 de Dezembro, o Fonebus inquiriu os habitantes de Lisboa e Porto, com mais de 18 anos acerca dos acontecimentos, positivos e negativos, mas marcantes do ano.
placeholderO Dia de Natal nas Televisões
Sendo um dia tipicamente passado em família, o dia de Natal não é um dia comum para as diferentes Estações de Televisão: é um dia que os Portugueses estão mais em casa, pelo que cada canal altera a sua emissão “normal” do dia em questão.
O Natal e os Telemóveis
A altura do Natal é propícia ao aparecimento de campanhas dos mais diversos produtos. Os telemóveis não são excepção, e as três operadoras de redes móveis (Vodafone, TMN e Optimus) aproveitaram a altura do Natal para lançar várias campanhas de Telemóveis e de novos serviços disponíveis.
Pepsi e Euro 2004
A marca Pepsi, tem vindo, cada vez mais, a associar a sua imagem ao futebol.
placeholderNatal das Escolas
No dia 23 de Dezembro a RTP1 emitiu o “Natal das Escolas”. Com início pouco depois das 14H e uma duração superior a duas horas e meia, este programa teve uma audiência média de 3.1% e um share de audiência de 25.3%.
placeholderRanking de Agências de Meios em Novembro
Segundo os dados divulgados pela MediaMonitor, as Agências de Meios que mais investiram de Janeiro a Novembro de 2003 foram a Media Planning (357.8 M€), a Initiative Media (273.1 M€) e a Tempo OMD (194.1 M€).
placeholderEuro 2004 Observer de 15 a 21 de Dezembro
Na semana em análise foi emitido um total de 412 notícias com referência ao Euro 2004, sendo que 82% (332 notícias) foram publicadas na Imprensa, 12.86% (53 notícias) na Rádio e os restantes 5% (21 notícias) na Televisão.
placeholderBASEF 2003 bate record de Clientes
A edição de 2003 do estudo “BASEF – Barómetro de Serviços Financeiros” atingiu este ano um record de clientes, nomeadamente Bancos e Seguradoras, entre outras empresas do sector.
Os negócios da Internet vão crescer em 2004!
Os sinais começam a chegar um pouco de todos os quadrantes. Passada a euforia dos anos loucos da “nova economia”, chega a vez da estabilização, dos negócios mais sólidos suportados por um entendimento mais claro do que é a Internet.