Seguros: promessas para cumprir

Cumprir o que se promete é o aspecto mais valorizado na escolha de uma companhia para a realização de um seguro, segundo os dados do estudo Basef Seguros da Marktest.

Grupo Marktest,  28 dezembro 2006

De acordo com os dados deste estudo disponíveis para a primeira vaga de 2006, 30.0% dos residentes no Continente com 15 e mais anos referem o cumprimento das promessas como o aspecto mais importante na escolha de uma companhia caso fizessem um seguro. Este valor, que tem registado uma ligeira quebra ao longo dos últimos anos, posiciona ainda assim a questão da necessidade de confiança na companhia como a mais relevante neste mercado.

A facilidade de resolução de problemas é o segundo aspecto mais referido pelos portugueses: 16.8% na primeira vaga de 2005. A importância deste indicador está obviamente relacionada com o produto em análise, de que normalmente se usufrui quando os problemas surgem.

O montante do prémio (preços) é o terceiro aspecto mais referido, por 14.5% dos entrevistados, legando para quarto lugar a clareza na informação prestada, referida por 11.2% dos portugueses. Este aspecto é o que tem mostrado maior tendência de crescimento nos últimos anos.

As condições do contrato são o quinto aspecto mais valorizado, por 8.0% dos indivíduos, seguido da simpatia dos funcionários (5.8%), que é o segundo aspecto com maior crescimento nos últimos anos, do ter produtos ajustados às necessidades das pessoas (4.4%) e do ter muitas agências/sucursais (0.3%).

O perfil sócio-demográfico dos indivíduos mostra algumas diferenças qualitativas na apreciação destes aspectos. Assim:

  • O cumprimento de promessas é mais valorizado pelas domésticas do que pela média do universo (entre este grupo, 39.5% refere este como o aspecto mais importante);
  • A facilidade de resolução de problemas é mais valorizada pelos empregados dos serviços, comércio e administrativos do que pela média (24.8% refere-a);
  • O montante do prémio (preços) é mais valorizado pelos jovens dos 25 aos 34 anos do que pela média do universo (20.5%);
  • A clareza na informação prestada é mais valorizada pelos técnicos especializados e pequenos proprietários do que pela média (15.2%);
  • As condições do contrato são mais valorizadas pelos estudantes do que pela média (11.7%);
  • A simpatia dos funcionários é mais valorizada pelos indivíduos dos 55 aos 64 anos do que pela média (10.0%);
  • Ter produtos ajustados às necessidades das pessoas é mais valorizado pelos quadros médios e superiores do que pela média (8.7%);
  • Ter muitas agências/sucursais é mais valorizado pelos trabalhadores qualificados do que pela média (0.7%).

Esta análise foi realizada com base nos resultados da primeira vaga de 2006 do estudo Basef Seguros da Marktest. Contacte-nos para mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais