Portugal menos assimétrico?
Portugal menos assimétrico?
placeholder
Uma análise dos dados do índice de poder de compra regional da Marktest mostra que, embora persistam diferenças muito assinaláveis entre os concelhos do Continente, os valores são hoje menos assimétricos do que há 20 anos.
Grupo Marktest
16 abril 2013

placeholder Os dados relativos ao índice de poder de compra regional (sales index) 2013 da Marktest evidenciam que ele se concentra num número muito reduzido de concelhos: em 2013, 25 dos 278 concelhos de Portugal Continental concentram metade (50.2%) do índice de poder de compra regional. Estes 25 concelhos representam apenas 6% do território do Continente.

O índice de poder de compra regional (ou sales index) é um índice expresso em permilagem que permite comparar os concelhos entre si e analisar a contribuição de cada um para um total de 1000, que corresponde à soma dos 278 concelhos do Continente.

É calculado com base em informação indicadora do potencial de rendimento e consumo de cada concelho, nomeadamente a população residente, as receitas fiscais, as vendas de automóveis, os consumos de electricidade, as dependências bancárias e os estabelecimentos comerciais.

A repartição geográfica do sales index mostra-nos a sua litoralização e a sua concentração num número reduzido de concelhos. Se metade do poder de compra está concentrada em 25 concelhos, verifica-se ainda que 22.5% deste índice está restrito a apenas 5 concelhos.

A lista dos concelhos com maior índice de poder de compra regional é liderada por Lisboa, que contribui com 10.3% do poder de compra do Continente. O Porto concentra 3.9% deste índice e Sintra 3.3%. Vila Nova de Gaia tem um índice de 2.5%, assim como Oeiras.

Do grupo de 25 concelhos onde está metade do poder de compra fazem ainda parte os concelhos de Cascais, Loures, Matosinhos, Braga, Almada, Coimbra, Amadora, Seixal, Leiria, Guimarães, Maia, Gondomar, Setúbal, Odivelas, Vila Franca de Xira, Santa Maria da Feira, Loulé, Vila Nova de Famalicão, Viseu e Aveiro.

Se relativamente ao ano transacto não se observam grandes diferenças no índice de poder de compra destes concelhos, já face ao que se verificava em 1992, há diferenças de registo. Em especial, vemos que o lote de concelhos que concentrava metade do valor do índice era constituído por apenas 18 destes concelhos. Para além de Odivelas, que ainda estava integrado em Loures, ficavam de fora os concelhos de Maia, Santa Maria da Feira, Vila Nova de Famalicão, Loulé, Aveiro e Viseu.

Entre o conjunto de 25 concelhos que em 2013 concentram metade do poder de compra, o concelho de Porto, seguido de Lisboa, Loures (já que entretanto deu origem a Odivelas) e Amadora foram os que registaram uma maior quebra neste índice. Pelo contrário, neste conjunto de concelhos, os que mais cresceram face a 1992 foram Oeiras, Loulé e Braga.

Consulte aqui mais informação sobre este sistema ou contacte-nos se pretende uma demonstração ou mais informações sobre o Sales Index .

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais