Portugueses defendem medidas de crescimento e de estímulo ao consumo

Portugueses defendem medidas de crescimento e de estímulo ao consumo

placeholder

Em sondagem exclusiva realizada pelo Fonebus da Marktest, os portugueses defendem medidas de crescimento e de estímulo ao consumo como forma de resolução da crise económica e financeira que se vive na Europa.

Grupo Marktest
28 abril 2015

"Pensando na crise económica e financeira que se vive na Europa, há quem entenda que ela só pode ser resolvida através da austeridade e de políticas de controlo da despesa pública. Outros, pelo contrário, consideram que a crise só pode ser resolvida através de medidas de crescimento e de estímulo ao consumo. Relativamente a esta questão, como é que o/a senhor/a se posiciona?" Esta foi uma das questões colocadas pela Marktest em sondagem realizada pelo Fonebus junto dos residentes no Continente com 18 e mais anos.

Os resultados mostram que a maioria dos inquiridos defende medidas de crescimento e de estímulo ao consumo (61.7%) como forma de resolver a crise europeia, contra 14.1% que defende a austeridade e políticas de controlo da despesa pública.

Houve ainda 9.8% de entrevistados que não optou por nenhuma destas medidas como forma de resolução da crise e 14.4% que não soube ou não quis dar a sua opinião sobre o assunto.

Esta opinião foi generalizada pelas várias camadas da população, sendo no entanto de destacar que os jovens foram quem mais referiu austeridade e medidas de controlo da despesa pública (27.1%) como forma de resolução da crise, os indivíduos das classes sociais mais elevadas foram quem mais indicou medidas de crescimento e de estímulo ao consumo (69.1%) e os mais idosos foram quem mais dificuldade teve em responder à questão (26.1%).

Este estudo foi realizado no Fonebus da Marktest, entre os dias 18 e 24 de Março de 2015, de acordo com a seguinte a Ficha Técnica. Contacte-nos se pretende mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais