Dia Internacional da Alfabetização comemora 50 anos

Dia Internacional da Alfabetização comemora 50 anos

placeholder

Passaram 50 anos desde que a UNESCO instituiu o Dia Internacional da Alfabetização, mas muito há ainda a fazer no Mundo … e também em Portugal.

Grupo Marktest
6 setembro 2016

Desde 1966, ano em que a UNESCO proclamou o Dia Internacional da Alfabetização, muito se progrediu em todo o Mundo nas matérias relacionadas com a alfabetização. No entanto, muito ainda há a fazer em muitos países. E, mesmo em países como Portugal, muitas diferenças ainda se registam entre as várias regiões que o compõem.

Entendida como uma forma de dar poder a homens e mulheres e, de uma forma geral, à sociedade como um todo, a alfabetização é mesmo um dos Direitos Universais da Criança (Direito à educação gratuita e ao lazer infantil).

A UNESCO relembra, neste cinquentenário do dia, o muito que já se percorreu desde 1966 (por exemplo, "a quantidade de jovens adultos sem habilidades de leitura e escrita foi reduzida em 25% entre 1990 e 2015") mas relembra que há ainda muitas mudanças para ocorrer ("Hoje, existem ainda 758 milhões de adultos que não são capazes de ler ou escrever uma frase simples. Dois terços deles são mulheres").

Este dia motiva-nos também a olhar para o nosso país, com base em dados do INE (Censos 2011) disponíveis no sistema de geomarketing Sales Index da Marktest e na sua aplicação web Municípios Online.

Considerando o nível de ensino mais elevado obtido pela população (pós secundário ou superior), os dados revelam que ele atinge 1 333 mil residentes em Portugal, o que representa 12.6% da população. Esta taxa é no entanto muito diferenciada por região. Enquanto na Área Metropolitana de Lisboa 17.6% dos residentes têm mais do que o nível de ensino secundário, apenas 8.9% dos residentes na Região Autónoma dos Açores possui o mesmo nível de instrução.

E estas diferenças são ainda maiores quando olhamos para os 308 concelhos do país. Nessa análise, os valores são de facto muito díspares, com a taxa observada em Lisboa a ser dez vezes superior à de Pampilhosa da Serra. Enquanto na capital 28% dos residentes tem mais do que a instrução secundária, em Pampilhosa da Serra apenas 2.8% da população também atingiu esse nível de instrução.

Entre os concelhos com nível de instrução mais elevada estão os de Oeiras, Coimbra, Porto, Cascais, Aveiro, Faro, Alcochete, Maia e Braga.

Pelo contrário, entre os que têm menor taxa de escolarização pós-secundária, estão os concelhos de Cinfães, Gavião, Baião, Penamacor, Mourão, Alcoutim, Mesão Frio, Nordeste e Câmara de Lobos.

O gráfico seguinte mostra o posicionamento dos concelhos do Continente face a 3 variáveis: no eixo horizontal, a percentagem de população com ensino pós-secundário ou superior e, no eixo vertical, o índice de poder de compra. A dimensão dos círculos corresponde à população residente e as cores dos círculos representam as regiões Marktest a que pertencem os concelhos. Clicando na legenda podem retirar-se ou adicionar-se concelhos.

Esta análise foi realizada com base em informação disponível na aplicação Municípios Online. Contacte-nos para mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais

  • Latin America 2020

    22 a 24 de abril de 2020

    ESOMAR

    Lima, Perú

    events@esomar.org

  • ONSeries Lisboa

    Nesta mostra de conteúdos televisivos de ficção nacional, estarão presentes potenciais compradores de todo o mundo.

    28 e 29 de abril de 2020

    Inside Content

    Centro Cultural de Belém, Lisboa