Acesso móvel à Internet oito vezes maior que há 10 anos

Acesso móvel à Internet oito vezes maior que há 10 anos

placeholder

Os dados 2020 do Bareme Internet, que a Marktest acaba de lançar, mostram que o acesso móvel à Internet é hoje oito vezes superior ao observado há 10 anos.

Grupo Marktest
22 setembro 2020

Os dados 2020 do Bareme Internet, já disponíveis, dão-nos o retrato da relação dos Portugueses com a Internet e permitem-nos conhecer essa evolução com o seu histórico de mais de 2 decénios de realização regular.

No espaço desta última década, o número de portugueses que utiliza o smartphone para aceder à Internet, octuplicou. De uma modesta penetração de 9% em 2010, esta plataforma foi paulatinamente subindo ano a ano, até ultrapassar o PC, em 2018. E, chegados a 2020, destaca-se na liderança, com mais de 10 p.p. à frente do anterior líder.

Assim, pelo 3º ano consecutivo, o smartphone é a plataforma preferida de acesso à Internet (72%), continuando a aumentar a distância do anterior líder, o qual mantém agora valores estáveis.

Mas, as mudanças no pódio não se ficam por aqui e também no terceiro lugar há sinais de mudança, depois de um longo período de ocupação pelo tablet. Esta plataforma mobile, que teve o seu melhor ano em 2016 (28%), perde agora em favor da SmartTV, dado 25% dos portugueses afirmarem já ter possibilidade de aceder à Internet pelo grande ecrã.

A SmartTV revela-se assim uma plataforma emergente também para a Internet. Após inaugurar em 2012 a sua presença nos dados do Bareme Internet, com resultados marginais (2%), veio conquistando espaço nos nossos lares e também na navegação na Internet. Numa primeira fase (até há 2 anos) mostrou crescimentos modestos, mas constantes, ganhando a 4ª posição à consola de jogos, em 2016.

Entretanto, aumentou a oferta de televisores com acesso a conteúdos online, com a respectiva descida de preços, tornando estes equipamentos multimédia cada vez mais acessíveis. Trata-se de uma substituição tecnológica, a qual continuará a ocorrer nos próximos anos e que se estima ser um pouco equiparável à transição dos feature phones para smartphones, ainda na memória recente de todos nós. Com esta perspectiva de massificação, é expectável que essa transição continue a fazer crescer o número de portugueses com possibilidade de acesso à Internet a partir do grande ecrã da sala.

Mas Acesso à Internet é um indicador generalista, que inclui também os que, tendo smart TVs, não as utilizam com o mínimo de regularidade para aceder à web, preferindo um consumo de Internet no modo "duplo-ecrã" - sentados no sofá, seguindo conteúdos mais lineares no grande ecrã, enquanto surfam na Internet pelo telemóvel.

Nas próximas edições do Bareme Internet contamos acompanhar mais de perto esta área para melhor a caracterizar quanto a frequência, tipo de conteúdos, etc.

Coberturas de Internet

Independentemente das plataformas específicas que possamos utilizar a cada momento ou local para aceder à Internet, o Bareme Internet revela uma progressiva massificação do seu acesso (76% dos portugueses com 15 e mais anos acedem agora à Internet). Em alguns segmentos sociodemográficos já se atingiu praticamente o pleno de acesso. Assim, nos últimos anos, as evoluções mais assinaláveis ocorrem no peso de cada plataforma e nos resultados de penetração nos vários grupos populacionais onde ainda há espaço para crescimento.

No conjunto das plataformas, o primeiro destaque nas coberturas de 2020 vai para o ligeiríssimo aumento do acesso geral à Internet (1 ponto percentual de aumento), entre as duas edições do estudo: em 2020, 76% dos portugueses com 15 e mais anos têm agora acesso (mesmo que esporádico) à Internet em pelo menos uma das plataformas computador (particular ou profissional), telemóvel ou tablet. Em 2019, esse valor era de 75%.

Mas, como referido, Acesso à Internet não é o mesmo que Acesso Regular sendo aquele um indicador bastante mais abrangente. Assim, o nosso enfoque seguinte, mais detalhado, vai para o Acesso Regular, que considera os Internautas com o mínimo de um acesso mensal.

Se nos focarmos neste subconjunto dos portugueses que visitam sites com alguma regularidade (pelo menos uma vez por mês), estes representam agora 74% do universo em estudo, tendo tido um crescimento de 2 p.p. desde o ano anterior.

Na análise por plataformas, e se exceptuarmos a troca de posições entre tablet e SmartTV, não se registam evoluções acentuadas na paisagem online nacional, no espaço de um ano.

Ainda assim, alguns detalhes são assinaláveis quando analisamos o desempenho específico pelas principais plataformas de base mais interactiva - PC, mobile phone e tablet. Destaque-se o aumento da cobertura de Internet nos mais velhos, aproximando-os ligeiramente mais dos estratos mais jovens (onde o acesso está já massificado) e o aumento do leque de plataformas (PC/smartphone/tablet) utilizadas por cada português.

Estas evoluções do perfil do universo de internautas reflectem-se no netAudience, dado o estudo nacional auditado de audiências Internet utilizar o Bareme Internet como estudo de base para a definição e quantificação de universos.

Conheça aqui os indicadores analisados nesta edição do Bareme Internet e contacte-nos para mais informações sobre este assunto.

placeholder
Vítor Cabeça
Director Adjunto na Direcção de Estudos de Meios na

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais

  • Asia Pacific 2020 - Insights Festival

    Evento ESOMAR, em parceira com o MRSI (Market Research Society India), com o tema D.R.I.V.E - DATA, Research, Insights, Vision e Excellence. Em resultado da atual pandemida de COVID-19, este evento terá apenas transmissão online.

    2 e 3 de novembro de 2020

    ESOMAR

    events@esomar.org

  • Sustainability Summit 2020

    Em resultado da atual pandemida de COVID-19, esta será uma conferência inteiramente virtual.

    5 de novembro de 2020

    MRS - The Market Research Society

    info@mrs.org.uk