20 anos de audimetria em Portugal

20 anos de audimetria em Portugal

placeholder

Numa entrevista ao Grupo Marktest em Notícias, Luís Queirós, Chairman do Grupo Marktest e fundador da empresa, dá-nos a sua visão sobre início da audimetria em Portugal e os desafios do futuro.

Grupo Marktest
20 julho 2010

Luís Queirós,
Chairman do Grupo Marktest
Grupo Marktest em Notícias: Como foi o início da audimetria em Portugal ?

Luís Queirós:Foi há 20 anos que se iniciou, em Portugal, a medição electrónica das audiências de televisão. Estávamos em 1990, e à espera do arranque das emissões dos operadores privados. Portugal vivia ainda a euforia da entrada na CEE, ocorrida 5 anos antes. O mercado publicitário prosperava, as perspectivas na área de estudos de mercado eram optimistas; internacionalização, informatização e especialização eram as palavras que circulavam no meio, e que tinham marcado o Congresso da Esomar, o qual se tinha realizado 2 anos antes, em Setembro de 1988. E, pela primeira vez, em Lisboa.

Não foi pacífico o arranque da audímetria. Na grelha de partida apareciam dois concorrentes a responder a "uma espécie de concurso" da RTP, naquele tempo único operador, ainda impante na sua posição de "posso, quero e mando". Esses concorrentes eram a Norma associada à Ecotel espanhola, e a Marktest associada à AGB Itália. O concurso foi ganho pela Norma-Ecotel, o que não impediu a AGB Portugal (Marktest) de iniciar, em paralelo, uma operação independente.

Em Junho de 1990 são publicados os primeiros resultados produzidos pela AGB Portugal, e só cerca de 6 meses depois se iniciaria a operação regular da Ecotel. Criou-se, assim, uma situação complexa e geradora de instabilidade e suspeição, pelo facto de existirem dois sistemas diferentes de medição. Este estado de coisas iria marcar os primeiros anos da audímetria em Portugal. Em 1998, na sequência de conflitos que opuseram a Marktest e o sócio italiano da AGB Portugal, surge uma grande crise, nasce a Marktest Audímetria. A AGB Portugal cessou a operação, e desde essa altura passou a haver um único sistema, sendo esta a situação normal que se verifica na quase totalidade de dos países.

Grupo Marktest em Notícias: E com vê a situação actual?

Luís Queirós: Hoje, vinte anos passados sobre o arranque da audímetria, estamos no início de um novo ciclo. A televisão, como meio publicitário, tem resistido bem, mas mudou o panorama televisivo: proliferam os canais, as emissões são feitas em diferentes plataformas, existem mais televisores por lar, existe a possibilidade do telespectador interagir com a emissão, e de ver os programas, em diferido, mais tarde.

Grupo Marktest em Notícias: Como é que a Marktest Audimetria tem acompanhado as transformações técnicas na televisão, nomeadamente o rápido desenvolvimento do IPTV?

Luís Queirós: Ao longo do tempo a Marktest Audímetria tem-se mantido atenta às diversas alterações que foram ocorrendo no universo, encontrando e implementando, em cada momento, as soluções mais adequadas, do ponto de vista técnico e económico, o que permitiu, a dada altura, passar a medir cabo satélite, cabo digital, IPTV etc.

Nos últimos tempos, a velocidade das mudanças tecnológicas têm provocado por razões técnicas, alterações constantes no painel e fragilizado o sistema, cuja resolução passa pela introdução de uma nova tecnologia de medição.

Grupo Marktest em Notícias: Fala-se muitas vezes de baixa do "consumo de televisão"

Luís Queirós: Na verdade, os emissores têm manifestado, insistentemente, a sua preocupação sobre a diminuição dos valores do consumo de TV, assumindo a posição de que o painel deveria evidenciar mais consumo de televisão. Mas até ao momento, não nos foi possível concluir que o painel não esteja a reflectir devidamente o consumo de televisão, nem que as flutuações estatísticas, se as houver, tenham de ser necessariamente no sentido descendente, pois nesse caso o painel tanto poderá estar a subavaliar como a sobreavaliar o consumo.

Grupo Marktest em Notícias: O mercado está consciente dos problemas existentes?

Luís Queirós: Penso que sim. Nós temos vindo a alertar, insistentemente, os nossos clientes para as fragilidades do sistema face às rápidas mudanças na emissão, distribuição e recepção de televisão e tudo faremos para continuar a manter a produção com os padrões existentes.

O grupo Marktest, através da Marktest Audímetria, está tecnicamente preparado para continuar a prestar, como sempre tem feito, um serviço do tipo "own service", rigoroso, independente e transparente, mas aceitará quaisquer novas regras que o mercado entenda introduzir, sem prejuízo da defesa dos seus interesses, e do papel que, por sua exclusiva conta e risco, assumiu nos últimos 20 anos.

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais