O desemprego é o que os portugueses mais receiam em 2012

O desemprego é o que os portugueses mais receiam em 2012

placeholder

Na actual conjuntura económica e política em que o país se encontra, o desemprego é a situação que os portugueses mais receiam em 2012, indica o Barómetro Político da Marktest de Janeiro.

Grupo Marktest
14 fevereiro 2012

Quando questionados sobre o que mais receiam no ano de 2012, 43% dos inquiridos no Barómetro Político da Marktest de Janeiro destacam o problema do Desemprego. É um problema transversal a todos os grupos em análise, mas mais em particular junto das mulheres (47.0%), dos grupos etários dos 18 aos 34 anos (47.8%) e dos 35 aos 44 anos (49.8%), dos residentes no Grande Porto (52.2%) e junto da classe média (45.9%).

Existem outros motivos de preocupação e receios neste ano de 2012: o aumento do custo de vida/Perda do poder de compra por parte das famílias (10.9%) ou o receio de que a situação que o país atravessa não melhore ou se agrave (7.5%). Este é um receio mais sentido pelos homens (10.9%), pelos mais velhos (10.7%), pelos residentes na Grande Lisboa (11.2%) e Sul (11.5%), e pelas classes mais baixas (8.2%).

Situações como o aumento da criminalidade (5.4%) e o aumento da pobreza (4.9%) ou ainda a deterioração e aumentos no Serviço Nacional de Saúde ( 4.6%), são outros dos receios dos portugueses para este ano.

E, se por vezes os mais cépticos apontam como uma das possíveis hipóteses Portugal abandonar o Euro, não parece que esta seja uma das principais preocupações dos portugueses, já que é mencionada por apenas 2.2% dos inquiridos.

Os resultados deste Barómetro estarão disponíveis aqui.

Consulte a Ficha Metodológica do Barómetro ou contacte-nos para mais informações sobre este assunto

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais