Actuação dos Líderes Partidários
24 março 2004
Observando o resultado do inquérito efectuado pelo Barómetro Político da Marktest/Dn/TSF, realizado no mês de Fevereiro, verifica-se que a imagem dos líderes dos principais partidos nacionais está em baixa.

De facto, quando questionados acerca da actuação dos líderes partidários, a população nacional, de um modo geral, classifica-a de negativa para todos líderes.

A excepção a este padrão é Francisco Louçã, líder do Bloco de Esquerda. Este político reúne 40,1% de consenso, quanto à sua actuação positiva, sendo que 34,1% considera a sua actuação negativa. Por outro lado, Francisco Louçã é um dos políticos acerca do qual a população inquirida tem dificuldade em classificar a actuação, com 23,8% da população a não saber responder à pergunta.

Em sentido oposto, encontra-se Durão Barroso, primeiro ministro e líder do Partido Social Democrata. 52,7% dos portugueses classifica a sua actuação como negativa e 33,3% como positiva. Por outro lado, é o líder partidário cuja população mais facilmente reconhece a sua actuação – apenas 13,2% não responde à questão.

Carlos Carvalhas, líder do Partido Comunista Português, é o político com a percentagem de actuação positiva mais baixa e aquele que mais se aproxima do valor de actuação negativa do líder do PSD. É ainda de salientar que Carlos Carvalhas é o político com maior percentagem de população que não corresponde à questão acerca da sua actuação.

Ferro Rodrigues, líder do Partido Socialista, é o político com a percentagem de actuação negativa e positiva mais próxima, sendo que a maioria dos portugueses considera a sua actuação negativa (39,2% dos inquiridos).

Paulo Portas, líder do Partido Popular, está em terceiro lugar, relativamente à actuação negativa. 44,1% da população portuguesa considera a sua actuação negativa e 37,9%, positiva. Esta análise foi feita com base no Barómetro Marktest/DN/TSF.

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais