Sondagem: Conflitos e atentados marcam ano 2015

Sondagem: Conflitos e atentados marcam ano 2015

placeholder

Em sondagem exclusiva realizada pelo Fonebus para a Marktest.com Notícias, os portugueses destacam, como acontecimento negativo de 2015, as guerras, conflitos e atentados terroristas que aconteceram um pouco por todo o mundo. Já para nomear o acontecimento mais positivo do ano, a dificuldade foi maior… Confira os resultados.

Grupo Marktest
2 fevereiro 2016

"Em sua opinião, qual o acontecimento mais positivo do ano de 2015 (em Portugal ou no resto do mundo)?" "E qual o acontecimento mais negativo do ano de 2015 (em Portugal ou no resto do mundo)?" Estas foram as duas questões colocadas pela Marktest em sondagem realizada pelo Fonebus junto dos residentes no Continente com 18 e mais anos.

Os resultados mostram que os inquiridos têm muita dificuldade em destacar um acontecimento positivo do ano que há pouco findou. 28.4% dos que respondem à questão dizem mesmo que não houve nenhum acontecimento positivo ou que não se recordam de nada positivo e 37.7% dizem não saber responder à pergunta.

Entre quem refere acontecimentos concretos, a "queda do Governo anterior ou a mudança de governo" foi o acontecimento de 2015 mais indicado como positivo, por 12.3% dos entrevistados, em especial os do sexo masculino, os indivíduos entre 45 e 54 anos, os residentes na Grande Lisboa e os inquiridos das classes sociais mais elevadas.

A "atuação do Papa Francisco" ou acontecimentos pessoais (como o nascimento de um filho) ocupam o segundo lugar das referências, mas a uma distância considerável, recolhendo 2.2% das opiniões. A "retoma económica/aumento do salário mínimo" foi referido por um número similar de inquiridos (2.1%), assim como acontecimentos desportivos (2.0%) e a "ajuda aos refugiados" (1.9%).

Já quanto à identificação do acontecimento mais negativo do ano, as opiniões são bastante consensuais, com quase metade (48.9%) dos entrevistados a apontar a ocorrência de "guerras, conflitos, atentados, atentados de Paris, ataques terroristas" como o mais negativo do ano. Esta resposta foi indicada com mais frequência junto dos homens, dos mais jovens (18/24 anos), dos residentes na Grande Lisboa e dos indivíduos da classe média.

A crise dos refugiados foi outro dos acontecimentos negativos destacado por estes entrevistados, recolhendo 12.0% das respostas. A crise, ("Crise/Crise económica/Emigração/Austeridade/Desemprego") foi apontada por 9.3% dos inquiridos e a "mudança de Governo/PSD ganhar as eleições e PS governar" foi indicado por 6.1%.

"Intervenções nos bancos, casos BES, BANIF…", acontecimentos pessoais e catástrofes naturais foram outros dos acontecimentos referidos nesta sondagem como os mais negativos de 2015.

Este estudo foi realizado no Fonebus da Marktest, entre os dias 14 e 18 de Janeiro de 2016, de acordo com a seguinte a Ficha Técnica. Contacte-nos se pretende mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais