Música representou 79% das receitas de espetáculos ao vivo
Música representou 79% das receitas de espetáculos ao vivo
placeholder
Numa atividade quase parada pela pandemia, poderão ter sido afetados perto de 100 milhões de euros em receita de espetáculos ao vivo de música.
Grupo Marktest
25 maio 2021

Os dados do INE, relativos ao seu Inquérito aos Espetáculos ao Vivo e disponíveis no sistema de geomarketing Sales Index da Marktest e na sua aplicação web Municípios Online, mostram que, em 2019, se realizaram 37 mil sessões de espetáculos ao vivo no país, que receberam um total de 16,9 milhões de espetadores, responsáveis por uma receita superior a 125 milhões de euros, uma média de 7,40 euros por espectador.

A música representou o grosso desta receita, com 98,5 milhões de euros, o equivalente a 78.6% das receitas totais. O teatro recolheu 10.7% dos montantes totais e os outros espetáculos ao vivo 10.6%.

Lisboa, Porto e Coimbra foram os concelhos onde se realizaram mais sessões de espetáculos ao vivo, representando, em conjunto, 34.4% do total.

Lisboa, Porto e Braga foram, pelo seu lado, os concelhos com maior número de espectadores destes espetáculos, representando 37.6% do total.

Já em receitas destes espetáculos, foram os concelhos de Lisboa, Porto e Oeiras os que captaram um maior volume, representando 76.6% do total. Para este valor terão contribuído decisivamente os festivais de Verão realizados nestes concelhos.

Os dados estão disponíveis no sistema de geomarketing Sales Index, que a Marktest desenvolve desde 1992 e na sua aplicação web Municípios Online. Consulte aqui mais informação sobre esta aplicação de geomarketing ou contacte-nos se pretender uma demonstração ou mais informações.

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais
Em Agenda ver mais