Bareme Internet 2011: um lançamento com várias novidades

Bareme Internet 2011: um lançamento com várias novidades

placeholder

A Marktest acaba de lançar a edição de 2011 do Bareme Internet, estudo de referência sobre a penetração da Internet na população portuguesa e sobre comportamentos dos cibernautas portugueses, que conta este ano com várias novidades.

Grupo Marktest
11 outubro 2011
A distribuição de um estudo, acabado de terminar, dá-nos sempre a satisfação de mais um objectivo alcançado. Mesmo quando se trata de um estudo regular, o clicar no botão "Enviar" corresponde à sensação de mais um serviço prestado ao mercado para que trabalhamos. Por maioria de razão, o lançamento da edição de 2011 do Bareme Internet traz-nos uma satisfação especial, por incluir várias novidades que esperamos serem do agrado do mercado.

Se o leitor é cliente de Bareme Internet e já acedeu à edição de 2011 (acabada de lançar) imediatamente deparou com a primeira, e mais visível, das novidades da edição deste ano: a nova plataforma de acesso aos resultados. Até agora os relatórios de dados eram distribuídos em ficheiros Excel, com quadros fixos e alguns gráficos de síntese dos principais resultados.

Nesta edição, o Bareme Internet inaugura a utilização da plataforma Media Screen, desenvolvida no Grupo Marktest, com o objectivo de dar, aos utilizadores dos seus estudos, maior poder de análise, organização de informação e capacidades de exportação dos dados de estudos quantitativos. Ainda este ano seguir-se-ão os restantes estudos de meios da Marktest - Bareme Imprensa, Bareme Rádio e Netpanel.

Estamos convictos que esta plataforma facilitará e simplificará o trabalho dos nossos clientes, sempre que pretendam consultar dados numéricos, gráficos ou evolutivos, ou pretendam organizar e exportar informação para formatos padrão como o Excel e o PowerPoint.

Dispondo de dashboards personalizáveis, a plataforma Media Screen é uma versão para a media, da plataforma Marktest Information Explorer, lançada em 2006 como suporte para o Barómetro de Telecomunicações Móveis.

Actualmente, além da versão Media Screen - para estudos de meios - esta plataforma é utilizada na versão Marktest Sectoriais, para vários estudos relativos ao consumo, ao TGI, a estudos Omnibus e a dados de Grande Distribuição.

Entre as principais funcionalidades destacamos:

  • Acesso online
  • Histórico de dados contratados, publicados a partir de 2011
  • Tabelas e gráficos por vaga ou evolutivos
  • Criação de dashboards e relatórios configuráveis por utilizador
  • Formatação livre de indicadores e variáveis sócio-demográficas para cada análise
  • Exportação de tabelas e gráficos para os formatos padrão Excel e Powerpoint
  • Aplicação de filtros de análise
  • Pesquisa de indicadores por área

Embora antecipemos uma rápida familiarização com a nova plataforma, aproveitámos o momento para outra iniciativa que visa o aumento da qualidade de serviço: a criação de endereços especializados de apoio a cada estudo. A partir da entrada na plataforma Media Screen, cada estudo de meios passa a ter um canal dedicado de suporte a utilizadores ou simples interessados em saber mais sobre o estudo. Portanto, sempre que tiver qualquer dúvida ou questão relativa ao Bareme Internet, contacte-nos para .

A Marktest sempre apostou no suporte e formação dos seus clientes, havendo centenas de profissionais no mercado que tiveram a oportunidade de desenvolver os seus conhecimentos e aumentar o seu desempenho, graças à nossa disponibilidade para documentar, formar, debater (e também rever) conceitos, critérios e procedimentos. Esta medida segue essa orientação, reforçando a comunicação e a rapidez de resposta da Marktest.

Nova Imagem

Outra mudança que o nosso cliente certamente notará, é a mudança do logótipo. Aproveitámos esta fase de de lançamento na plataforma Media Screen, para criar uma nova imagem visual para o Bareme Internet.

Informação: a evolução e as novidades

Sendo o Bareme Internet um estudo de caracterização, uma das suas muitas funções é revelar a evolução e as tendências de indicadores globais do consumo de Internet. Um dos principais indicadores é o acesso à Internet. Como mostra o gráfico seguinte, constata-se uma natural evolução de convergência entre a digitalização (Posse de computador) e o acesso Internet. Em 1997 apenas ¼ dos lares possuiam computador e 2% tinham acesso à Internet, Consequentemente apenas 9 em cada 100 lares com computador tinham acesso à Internet. No virar do milénio este índice era já de 40% (35% dos lares com computador e 14% com acesso), enquanto os dados acabados de publicar quantificam em 96% os lares, com computador, que têm acesso à Internet.

Também as tecnologias de acesso têm evoluido claramente, com a generalização da banda larga, como demonstra o 2º gráfico. Enquanto em 2003 apenas um terço dos lares com Internet tinham acesso por banda larga, esse indice é actualmente de 98%.

Naturalmente, cada novo relatório traz novidades em relação aos indicadores estudados, como acabámos de exemplificar. No entanto também alguns indicadores são, eles próprios, novidade. Se é cliente, e tiver consultado o conteúdo do relatório de 2011, terá tido oportunidade de constatar que as mudanças se estendem à informação disponível.

O cenário digital está a mudar rapidamente, e o Bnet vai acompanhar e medir essa evolução, tanto do ponto de vista quantitativo, como qualitativo. É exemplo desta última componente, a introdução dos tablets como equipamento digital a acompanhar.

Outras novidades de 2011:

  • Acesso internet por consolas de Jogos
  • Estudo mais detalhado das contas de e-mail, quantificando o número e tipo de contas utilizadas
  • Marcas comerciais com "Gosto" no Facebook
  • Maior detalhe nos serviços online utilizados através de equipamentos mobile

Para 2012, está já prevista a expansão da informação em várias áreas, com destaque para tablets e dispositivos móveis em geral.

Como sempre, a sua contribuição e sugestões serão bem-vindas. E se ainda não é cliente mas trabalha a área de Internet, isto é uma pequena parte do que está a perder no Bareme internet 2011.

placeholder
Vítor Cabeça
Director Adjunto na Direcção de Estudos de Meios na

Alguns produtos relacionados com esta notícia

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais