Mercado dos estudos de mercado

placeholderSegundo os últimos elementos da ESOMAR (associação mundial de profissionais de estudos de mercado), o mercado mundial dos estudos de mercado vale 17,8 mil milhões de euros. Os dados reportam-se ao ano de 2001 e dão a Portugal uma quota de 0.3% deste montante.

As estimativas da ESOMAR referem-se a um conjunto de 81 países ou áreas geográficas, cujos elementos foram recolhidos através das associações locais de profissionais ou de contactos-chave em todo o mundo.

Do montante global apurado, a maior fatia cabe ao mercado da América do Norte, que representa 41.4% deste valor. Os Estados Unidos sózinhos absorvem uma fatia de 38.8% do total. A Europa é responsável por 39.8% do mercado e os restantes 16.8% provêm da América Central e do Sul, Asia/Pacífico e Médio Oriente/África.

placeholder

As 25 maiores empresas mundiais de estudos de mercado são lideradas pelo Grupo VNU, que detém 15.1% do mercado, sendo responsável por 2400 milhões de USD. A IMS é a segunda maior, com receitas na ordem dos 1171 milhões de USD e uma quota de 7.4% do total.

As 25 maiores empresas do mundo detêm 61.3% do mercado e têm registado uma cada vez maior tendência de concentração, com aquisições e fusões sucessivas. Segundo a ESOMAR, em 2001 a empresa mais activa a esse nível foi a Taylor Nelson Sofres, que realizou sete aquisições. Também o Grupo GfK e a Synovate realizaram seis aquisições cada e a WPP cinco. No primeiro semestre de 2002, as 25 maiores empresas realizaram ainda mais 16 aquisições cujas receitas rondavam na altura os 187 milhões de USD.

Os agrupamentos de media (VNU, WPP, Interpublic Group of Cos., United Business Group Plc. e Aegis Group Plc.) controlavam nessa altura 47% do total de receitas das 25 maiores e todas, excepto a Interpublic, realizaram aquisições em 2001.

Com estes movimentos, a ESOMAR prevê que as 25 maiores venham a controlar dois terços do mercado nos próximos cinco anos, ficando o restante dividido pelas mais de 500 empresas de estudos de mercado do mundo.

Segundo este estudo, o mercado nacional vale 50 milhões de USD, um dos valores mais baixos da Europa. Este valor equivale a gastos em estudos de mercado na ordem dos 5 USD per capita e corresponde a 3.7% do investimento realizado em publicidade. Estes números estão longe da situação verificada no Reino Unido ou nos Estados Unidos. No reino Unido os estudos de mercado recebem investimentos na ordem dos 27.5 USD per capita, representando 9.2% do investimento publicitário. Já nos Estados Unidos, os estudos de mercado representam um valor de 21.9 USD per capita e 4.8% do investimento publicitário. Mesmo em Espanha observamos um gasto em estudos de mercado na ordem dos 7.1 USD per capita, representando 5.8% do investimento em publicidade.

Os estudos de mercado em Portugal são maioritariamente dirigidos ao mercado nacional (75%), encomendados sobretudo pela área da indústria (36% do total de receitas). Os outros sectores que mais investem em estudos de mercado são a media (15%) e as telecomunicações (13%). Cerca de 85% dos estudos realizados no nosso país são dirigidos ao consumidor e 70% do mercado é relativo a estudos ad’hoc, sobretudo quantitativos (43% do total) recorrendo maioritariamente a entrevistas face to face (24% do total). Nos estudos qualitativos predomina a metodologia do focus group (20% do total) e nos estudos regulares (contínuos) os paineis de consumidores representam 13% do mercado total. O sector emprega 3200 entrevistadores e supervisores e 650 técnicos.



Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais