Hábitos de leitura diferem segundo a classe social

Hábitos de leitura diferem segundo a classe social

placeholder

Os dados do TGI mostram que a classe social é a variável que mais distingue os portugueses quando analisados os seus hábitos de leitura.

Grupo Marktest
30 julho 2019

Na vaga global de 2018, o estudo TGI contabiliza 5 milhões e 214 mil portugueses que leram pelo menos um livro nos últimos 12 meses, o que representa 60.9% dos residentes no Continente com 15 e mais anos.

Na análise do perfil dos leitores de livros, a classe social é a variável mais discriminante, pois é aquela que apresenta maior heterogeneidade de comportamento entre os indivíduos, com a percentagem de leitores a baixar de 78.1% junto dos indivíduos das classes alta e média alta para 52.2% junto dos indivíduos das classes média baixa e baixa.

Também entre os dois géneros se registam diferenças acentuadas. Enquanto 52.7% dos homens refere ter lido pelo menos um livro nos últimos 12 meses, entre as mulheres a percentagem sobe para 68.2%.

Os dados do TGI mostram ainda que 53.8% dos portugueses referem ter adquirido pelo menos um livro nos últimos 12 meses.

Os dados e análises apresentadas fazem parte do estudo TGI, propriedade intelectual da Kantar Media, e do qual a Marktest detém a licença de exploração em Portugal, é um estudo único que num mesmo momento recolhe informação para 17 grandes sectores de mercado, 280 categorias de produtos e serviços e mais de 3000 marcas proporcionando assim um conhecimento aprofundado sobre os portugueses e face aos seus consumos, marcas, hobbies, Lifestyle e consumo de meios.

Presente em mais de 60 países nos 5 Continentes, o TGI poderá ainda caracterizar mercados internacionais com vista ao conhecimento dos consumidores além fronteiras.

Contacte-nos para mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais