Parabéns Facebook. Muitos anos de vida?

Parabéns Facebook. Muitos anos de vida?

placeholder

O Facebook faz hoje anos e está de parabéns. Mas, terá muitos anos de vida?

Grupo Marktest
4 fevereiro 2020

A 4 de fevereiro de 2004, Mark Zuckerberg e os seus colegas da Universidade de Harvard, Eduardo Saverin, Andrew McCollum, Dustin Moskovitz e Chris Hughes lançaram uma rede a que chamaram TheFacebook. Inicialmente, a rede era restrita aos estudantes da sua Universidade, depois alargada a outras universidades dos Estados Unidos e, em setembro de 2006, a qualquer utilizador com um email válido e mais de 12 anos. Nascia o Facebook como o conhecemos hoje.

Em Portugal, a Marktest analisa o fenómeno das redes sociais desde 2008, dois anos depois do Facebook ter acesso aberto e, com mais detalhe, desde 2011, no estudo Os Portugueses e as Redes Sociais.

A análise dos resultados deste estudo permite conhecer um pouco a evolução do uso do Facebook em Portugal.

Se é verdade que o Facebook é a rede dominante entre os utilizadores portugueses, os dados mostram um decréscimo de alguns indicadores, o que pode colocar interrogações sobre o futuro desta rede no nosso país, sobretudo quando analisamos o comportamento dos utilizadores mais jovens.

Inquiridos sobre que redes conhecem, cerca de 98% dos entrevistados no estudo Os Portugueses e as Redes Sociais 2019 indicam o Facebook como primeira referência, mantendo uma tendência constante desde 2011. No mesmo período, o Instagram multiplica por mais de 5 o número de referências de 2013 e o Twitter revela, desde 2015, uma tendência de quebra.

Em penetração, o Facebook também mantém uma tendência de alguma estabilidade, com 95.3% dos utilizadores de redes sociais a referirem terem conta no Facebook. Também aqui é de assinalar o crescimento do Instagram, que mais que quadruplica os valores de 2013.

Já se analisarmos a rede social que é mais utilizada, vemos um claro decréscimo do Facebook embora ainda liderando. O Instagram duplicou os seus valores em dois anos.

Esta alteração de preferências é sobretudo evidente quando analisamos o comportamento dos mais novos. Junto dos jovens dos 15 aos 24 anos, o Facebook já foi ultrapassado pelo Instagram, aproximando-se dos valores do Youtube. O Instagram passou de 1% em 2013 para 53% em 2019.

A mesma constatação podemos fazer quando analisamos as respostas à pergunta: "Qual a rede social que mais gosta?". No total, os valores passam de 73.8% de referências ao Facebook em 2011 para 31.6% em 2019.

Junto dos mais jovens, a maioria refere o Instagram, em segundo lugar o Youtube e só em 3º o Facebook. Esta última em queda acentuada, ao contrário das outras duas (em especial o Instagram), com tendência de subida. E isto deixa antever alterações de comportamento no futuro.

Esta análise foi realizada com base nos resultados do estudo Os Portugueses e as Redes Sociais, que a Marktest realiza desde 2011 junto de residentes no Continente com idades compreendidas entre os 15 e os 64 anos e utilizadores de redes sociais. Consulte o folheto de apresentação onde encontra mais detalhe sobre as áreas temáticas abordadas neste estudo e contacte-nos para mais informações.

placeholder
Esperança Afonso
Directora na Direcção de Marktest Consulting na Marktest

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais