COVID-19: Norte com maior morbilidade e incidência, Lisboa com maior mortalidade e Açores com maior letalidade

COVID-19: Norte com maior morbilidade e incidência, Lisboa com maior mortalidade e Açores com maior letalidade

placeholder

Os dados da DGS sobre a evolução da pandemia de COVID-19 no nosso país mostram que a incidência da doença e mortalidade associada é diferente entre as várias regiões do país.

Grupo Marktest
10 novembro 2020

Uma análise dos Relatórios de Situação COVID-19 da Direção Geral da Saúde mostram que, desde outubro, têm aumentado em Portugal os casos confirmados, assim como os internados nos hospitais e os óbitos atribuídos à doença.

Até este momento (situação até dia 8 de novembro de 2020), foram registados um total de 183 420 casos confirmados da doença em Portugal. Destes, 102 083 (ou seja, 56%), já recuperou, havendo um total de 2959 óbitos, o que equivale a 1.6% do total de infetados.

Na mesma data, existiam 2651 internados nos hospitais do SNS, dos quais 391 em Unidades de Cuidados intensivos. O número de internados corresponde a 1.4% do número de infetados e os que necessitam UCI representam 15% daqueles.

Estes indicadores representam um agravar acentuado da situação que já se observa desde o início de outubro e que se mantém no início de novembro. Nos primeiros 8 dias deste mês, a média diária de novos casos situou-se nos 4885, o que é o dobro da média observada em outubro (2192), que havia sido o valor mais elevado até àquela data.

O número de recuperados também tem aumentado e, nestes primeiros 8 dias de novembro, registou-se o valor médio diário mais elevado, com 2539 recuperações, o que corresponde a mais do que o dobro do verificado no mês anterior (1059).

Calculando as taxas de incidência (novos casos face à população total), morbilidade (total de casos face à população total), mortalidade (óbitos face à população total) e letalidade (óbitos face ao total de casos), vemos que, naturalmente, as taxas de incidência, morbilidade e mortalidade estão a aumentar, pois há um crescimento de casos e de óbitos, mas a taxa de letalidade está a baixar, registando em 8 de novembro um dos valores mais baixos do período em análise, com 1.6% (percentagem de óbitos face ao total de casos).

Estas taxas são, contudo, bastante diversas entre as várias regiões do país. A região Norte e a de Lisboa são as mais afetadas pela doença, concentrando 48% e 38% dos casos e 45% e 39% dos óbitos, respetivamente.

Nos gráficos que apresentamos em baixo é possível observar que a região Norte é a que apresenta uma maior taxa de morbilidade, com 2477 casos por 100 mil habitantes, e de incidência, com 63 novos casos por 100 mil habitantes. Na região de Lisboa observa-se a maior taxa de mortalidade, com 40 óbitos por 100 mil habitantes, e nos Açores regista-se a maior letalidade, com 3 óbitos por 100 casos da doença.

Esta análise foi realizada com base na informação divulgada pela Direção Geral da Saúde. Contacte-nos para mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais