Residência em casa alugada baixa

Desde 1994 o número de indivíduos que reside em casa alugada desceu cerca de 39%, segundo dados do estudo Consumidor da Marktest.

Em 1994 cerca de 31.9% dos indivíduos do Continente residiam em casa alugada, valor que se cifra em 19.4% em 2001, revelando a quebra do peso que o mercado do arrendamento teve no nosso país nos últimos anos.

Pelo contrário, aumenta o número de indivíduos que reside em casa própria ou de alguém do agregado. De 1994 para 2001 esse valor cresceu cerca de 25%, situando-se actualmente nos 79%.

Analisando o perfil dos indivíduos que em 2001 residem em casa própria face aos que residem em casa alugada apercebemo-nos de diferenças importantes: enquanto a maioria (58%) dos indivíduos que residem em casa alugada têm mais de 44 anos, esse número desce para 42% nos que residem em casa própria; da mesma forma, é nos primeiros que encontramos maior peso dos reformados (33.3% face aos 22.4% nos residentes em casa própria); quanto à classe social, cerca de metade dos indivíduos que residem em casa própria pertencem às classes média, média alta ou alta, enquanto os residentes em casa alugada pertencem maioritariamente às classes baixa e média baixa; mas é no que diz respeito à região de residência que maiores diferenças encontramos entre os grupos, já que 31.6% dos residentes em casa alugada reside na região da Grande Lisboa, face aos 18.1% de indivíduos que residem em casa própria nessa região.

Esta análise foi feita com base no estudo Consumidor da Marktest.

placeholder



placeholder

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais
Em Agenda ver mais