Produtos financeiros e classe social

De acordo com os resultados do BASEF, estudo regular da Marktest, os indivíduos pertencentes à classe social alta/média alta (A/B) destacam-se por registarem as maiores percentagens de posse de produtos financeiros.

Numa análise dos indicadores disponíveis para a segunda vaga de 2002, a Conta a Prazo é o produto mais possuído pelos portugueses com 15 ou mais anos, com uma penetração no total dos bancarizados de 55.2%, o que dá uma dimensão total de mercado na ordem dos três milhões e setecentos mil indivíduos.

O pagamento de despesas domésticas pelo Banco é igualmente um serviço com elevada penetração junto dos bancarizados, referido por 45.8% deles. Junto dos indivíduos da classe A/B este é mesmo o serviço de maior utilização, já que 64.9% deles afirmam utilizar este serviço, face aos 57.5% dos que afirmam possuir Conta a Prazo.

O recebimento de salário por transferência bancária é comum a 31.9% dos bancarizados e produtos como crédito à habitação e conta ordenado são igualmente muito utilizados pelos bancarizados: 23.5% e 21.4%, respectivamente.

A análise por classe social revela diferenças importantes, já que a penetração destes produtos é bastante superior junto das classes mais elevadas, sendo o crédito à habitação, a compra e venda de acções, os PPR e o já referido pagamento de despesas domésticas os produtos/serviços que registam maiores diferenças da classe A/B relativamente às outras classes sociais.

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais