Os portugueses e os livros: classe diferencia

Vai comemorar-se no dia 23 de Abril o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor, pretexto para conhecer os hábitos de leitura dos portugueses, num estudo realizado pelo Fonebus da Marktest em exclusivo para a Marktest.com Notícias.

Grupo Marktest,  21 abril 2009

O dia 23 de Abril assinala o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor, instituido pela UNESCO em 1996, em honra de Cervantes e Shakespeare, que faleceram neste dia, em 1616. Com este mote, a Marktest.com Notícias quis saber como se relacionam com os livros os residentes no Continente com 18 e mais anos, através de uma sondagem realizada pelo Fonebus da Marktest.

A primeira pergunta colocada teve que ver com o conhecimento dos hábitos de leitura num período recente (último mês): "no último mês leu algum livro, ou está neste momento a ler algum livro?". As respostas a esta questão permitem afirmar que, na faixa etária inquirida, a classe social diferencia, pois é a variável que revela comportamentos mais diferentes entre os indivíduos.

36.9% dos inquiridos neste estudo revelaram estar a ler um livro ou tê-lo feito no último mês, em contraste com os 63.1% de entrevistados que respondeu negativamente a esta questão. As percentagens de adeptos dos livros sobem junto das mulheres (40.7% delas referiu ter lido ou estar a ler algum livro), dos indivíduos entre 35 e 44 anos (48.0%) e dos residentes na Grande Lisboa (42.8%) e no Grande Porto (42.0%). Entre as classes sociais, encontramos, como referido, mais diferenças, com os valores a oscilar entre os 64.5% observados junto dos que pertencem às classes sociais alta e média alta, os 41.9% junto dos indivíduos da classe média e os 22.7% junto dos que pertencem às classes média baixa e baixa.

Os romances são os livros preferidos pelos portugueses destas idades, referidos por 34.6% dos entrevistados. Os livros técnicos ou científicos recolhem 13.9% das opiniões e os policiais 11.0%. Ficção histórica, aventura e acção, poesia e religiosos foram também referidos.

Entre os que se afirmam leitores de livros, Equador (Miguel Sousa Tavares) é o título mais referido quando se pede aos entrevistados que se recordem do título de um livro que tenham lido recentemente. As referências dispersam-se por muitos títulos diferentes, mas os mais citados são, seguidamente, a Bíblia, A Viagem do Elefante (José Saramago), As Palavras que Nunca te Direi (Nicholas Sparks) e Maddie: A Verdade da Mentira (Gonçalo Amaral).

Este estudo foi realizado em Portugal Continental através do Fonebus da Marktest, entre os dias 14 e 19 de Abril de 2009, de acordo com a seguinte a Ficha Técnica. Contacte-nos se pretende mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais