Expectativas menos pessimistas

O índice de expectativa Marktest subiu 4 pontos de Junho para Julho, mas os portugueses ainda se encontram moderadamente pessimistas.

Em Julho de 2002 o índice de expectativa Marktest situa-se nos 39%, revelando expectativas moderadamente pessimistas dos portugueses face à evolução futura (próximo ano) da situação económica pessoal (e familiar) e do país.

O índice é construído pela Marktest desde 1990 e resulta do tratamento conjunto das respostas dadas a duas questões: “Pensa que daqui a um ano a sua situação económica e pessoal e a do seu agregado familiar será Melhor, Igual ou Pior?” e “E em relação à situação económica do país, pensa que adqui a um ano ela será Melhor, Igual ou Pior?”. Às respostas “Melhor” é atribuído um valor de 100, às respostas “Igual”, um valor de 50 e às respostas “Pior”, um valor de zero. Define-se Pessimismo quando o índice assume um valor até 50 e Optimismo a partir daí.

Os resultados de Julho indicam uma melhoria das expectativas, que ainda não é, no entanto, suficiente para situar o índice num clima de optimismo. Os homens são menos pessimistas do que as mulheres: em Julho, o índice de expectativa para eles situa-se nos 43%, enquanto para elas está nos 35%. Também os residentes no Norte são menos pessimistas do que os residentes no Sul: o valor de 47% no Litoral Norte ou o de 46% do Grande Porto contrastam com o índice de 28% no Sul e de 34% na Grande Lisboa.



Veja a ficha metodológica aqui.







Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais