Classe Social distingue ouvintes de rádio

Classe Social distingue ouvintes de rádio

placeholder

A análise dos dados da 3ª vaga de 2013 do Bareme Rádio da Marktest, revela que a classe social é a variável que mais distingue o comportamento dos portugueses face à rádio.

Grupo Marktest
6 agosto 2013

De acordo com os dados da vaga de Junho (3ª 2013) do Bareme Rádio da Marktest, a classe social é a variável que revela maior diferença de comportamento entre os portugueses no que diz respeito ao consumo de rádio. Os valores oscilam entre 79.8% de audiência acumulada de véspera junto da classe Alta e os 34.7% na classe Baixa.

A idade, a ocupação e o género também são variáveis discriminantes nesta análise. A região é a variável menos determinante, com um comportamento mais homogéneo no Continente.

Segundo os resultados do Bareme Rádio, 58.1% dos residentes em Portugal Continental com 15 ou mais anos ouviu rádio (referência: na véspera) no período em análise.

A classe Alta é, como já referido, o target que observa maior afinidade com este meio, com 79.8% de audiência acumulada de véspera. Também os quadros médios e superiores registam uma grande afinidade com o rádio, com uma audiência acumulada de véspera de 78.4%, seguindo-se os técnicos especializados e pequenos proprietários (77.5%), os indivíduos entre os 25 e os 34 anos (75.9%) e os empregados dos serviços, comércio e administrativos (75.4%)

A análise tem como base os resultados da vaga de Junho de 2013 do estudo Bareme Rádio da Marktest, que analisa o comportamento dos residentes no Continente, com 15 e mais anos, relativamente ao meio rádio. Contacte-nos para mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais