Como avaliamos o papel da China na economia?

Como avaliamos o papel da China na economia?

placeholder

Foram respostas a esta questão que uma sondagem internacional da Win Gallup International procurou obter.

Grupo Marktest
26 abril 2017

"Nos últimos anos, a China tem-se tornado num dos maiores exportadores de bens de consumo. Também tem vindo a investir muito dinheiro em grandes projetos em todo o mundo. Acha que a China desempenha um papel importante na economia do seu país, de acordo com a seguinte escala: …" Esta foi a pergunta que a Win Gallup International, network internacional à qual a Marktest se encontra associada, colocou aos habitantes de 67 países do mundo. A grande maioria reconhece essa importância.

Em termos globais, 70% dos inquiridos considera o papel da China importante na economia do seu país, ao contrário de 19% que o acha não importante. 11% não sabe ou não responde à questão.

Estes resultados revelam algumas diferenças entre os vários países em análise. Em 14 dos 67 países alvo desta sondagem, a percentagem de inquiridos que reconhece a importância da China na economia do seu país ascende a 80% ou mais. Neste grupo encontram-se, por exemplo, Portugal, Espanha, França, Grécia ou EUA.

Entre os inquiridos pela Marktest no nosso país, 82% atribui à China um papel importante na nossa economia, uma percentagem só superior em 7 outros países.

A sondagem pretendeu ainda conhecer se a importância dada ao papel da China nas economias nacionais é ou não entendido como bom.

À pergunta" E, na sua opinião, a importância que a China tem na economia do seu país, é algo bom ou mau para o seu país?", encontramos uma maior divergência de opiniões.

Globalmente, 56% dos inquiridos entendem que essa importância da China na economia dos seus países é algo de bom, contrariamente a 27% que consideram algo de mau. 16% não soube ou não respondeu à questão.

Em 42 dos 67 países analisados, 50% ou mais dos inquiridos consideram bom o papel da China na economia dos seus países, em especial os residentes no Bangladesh (96%), Pakistão (91%) ou Costa do Marfim (88%). Deste grupo fazem ainda parte países como Brasil, Rússia, Grécia, Dinamarca, Espanha, Alemanha, Irlanda, Israel ou Reino Unido.

Portugal encontra-se no grupo de 12 países onde prevaleceu uma avaliação negativa do papel da China na economia nacional. Entre os inquiridos pela Marktest, 42% considera bom e 44% considera mau o papel da China na nossa economia; 14% não soube ou não respondeu à questão. Neste grupo estão também, por exemplo, Itália, França, Bélgica e Índia.

Entre os inquiridos no Japão e na Islândia registaram-se as maiores taxas de não resposta (47% e 43%, respetivamente) e nos restantes 11 países, houve um maior número de respostas considerando bom o papel da China nas suas economias, mas elas não atingiram os 50% como no primeiro grupo de regiões. Neste último grupo estão, por exemplo, EUA, Canadá ou Austrália.

O estudo da Win Gallup foi realizado entre Outubro e Dezembro de 2016, junto de uma amostra de 69 344 entrevistados, residentes em 68 países de todas as regiões do Mundo. Em Portugal, a Marktest foi a responsável pela recolha de informação, que consistiu num estudo online junto de uma amostra de 1007 indivíduos com 18 e mais anos.

A Marktest é associada da WIN-Gallup International desde o início de 2012. A rede Worldwide Independent Network/Gallup International Association (WIN/GIA) é composta pelas 67 maiores empresas independentes de estudos e mercado e sondagens de opinião a nível global, que em conjunto representam mais de 600 milhões de USD em receitas e 89% do mercado mundial. A Marktest foi a empresa portuguesa seleccionada para fazer parte desta rede, estando a partir de agora apetrechada com ferramentas que nos permitem responder de forma ainda mais integrada às necessidades dos nossos clientes.

Contacte-nos se pretende mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais

  • Portugal Smart Cities Summit

    Esta exposição tecnológica (que tem o apoio institucional do Ministério da Economia, do Ministério do Ambiente e do Ministério da Ciência e Tecnologia, bem como do Secretário de Estado da Energia), conta com a participação de Municípios, Startups, PMEs e Universidades.

    22 a 24 de setembro de 2020

    Fundação AIP

    FIL, Parque das Nações, Lisboa

    elisabete.martins@ccl.fil.pt

  • ONSeries Lisboa

    Nesta mostra de conteúdos televisivos de ficção nacional, estarão presentes potenciais compradores de todo o mundo.

    28 e 29 de setembro de 2020

    Inside Content

    Centro Cultural de Belém, Lisboa