Lisboetas e portuenses acham que os homens e as mulheres não têm as mesmas oportunidades

Em sondagem exclusiva para a Marktest.com Notícias, realizada pelo Fonebus da Marktest, os lisboetas e os portuenses entendem que os homens e as mulheres não têm as mesmas oportunidades no mercado de trabalho nem acesso aos mesmos direitos na nossa sociedade.

Grupo Marktest,  8 março 2007

A Marktest.com assinala o Dia Internacional da Mulher, que hoje (dia 8 de Março de 2007) se comemora, com a divulgação dos resultados de uma sondagem exclusiva realizada pelo Fonebus da Marktest junto dos residentes nas regiões da Grande Lisboa e do Grande Porto com 18 ou mais anos.

O primeiro indicador é que os homens atribuem mais importância à existência deste Dia do que as mulheres. Solicitados a avaliar a importância da existência do Dia Internacional da Mulher numa escala de 1 (nenhuma importância) a 10 (muitíssima importância), os homens atribuíram um valor médio de 6.70, ao passo que as mulheres o valorizaram em 6.56.

A avaliar pelos resultados deste estudo, as mulheres podem ainda esperar uma surpresa no dia de hoje. De facto, são mais os homens do que as mulheres os que tencionam fazer algo especial neste dia como comemoração do Dia Internacional da Mulher (28.0% dos homens diz tencionar fazê-lo, contra os 12.6% das mulheres).

Quanto às questões que se relacionam com a instituição deste Dia Internacional (as relacionadas com a igualdade de oportunidades entre os géneros), os mais optimistas são também os homens.

Relativamente à questão "Os homens e as mulheres têm acesso aos mesmos direitos na nossa sociedade, ou não?", as opiniões dividem-se entre 44.1% que afirma que sim e 54.9% que diz não. Estes números diferem entre homens e mulheres. Entre eles, 48.0% entende que homens e mulheres têm acesso aos mesmos direitos e 50.8% o contrário. Em contrapartida, entre elas, 40.5% acha que essa equidade existe e 58.8% entende que não.

Já quanto à questão "Os homens e as mulheres têm as mesmas oportunidades no mercado de trabalho, ou não?" as respostas são mais claras: cerca de três quartos (73.2%) dos inquiridos entende que essa igualdade de oportunidades não existe e 24.2% acha que sim. As respostas dos dois géneros surgem também mais distanciadas: entre os homens, 28.5% acha que existe acesso às mesmas oportunidades no mercado de trabalho e 67.9% entende que não, valores que, respectivamente passam para 20.2% e 78.6% entre as inquiridas do sexo feminino.

Recorde-se que este ano se comemoram 32 anos sobre a instituição, pela ONU, do Dia Internacional da Mulher e que 2007 constitui o Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos - Para uma Sociedade Justa.

Este estudo foi realizado no Fonebus da Marktest, nos dias 22 de Fevereiro e 1 e 2 de Março de 2007, de acordo com a seguinte a Ficha Técnica. Contacte-nos se pretende mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais