Crianças aumentam consumo de Tv
As crianças foram o target que mais incrementou o seu consumo de televisão nos primeiros nove meses do ano, segundo os elementos da Marktest Audimetria/MediaMonitor.
Grupo Marktest,  9 outubro 2008

placeholder Segundo os dados da Marktest Audimetria/MediaMonitor, entre Janeiro e Setembro de 2008 cada português viu, em média, por dia, em sua casa, 3 horas, 34 minutos e 54 segundos de televisão, mais 5 minutos e 38 segundos do que no mesmo período do ano anterior.

A análise por targets mostra comportamentos diferentes face a este meio. A idade e a situação no lar são as variáveis que mais influenciam o consumo de televisão, já que é aqui que se observam maiores diferenças de comportamento entre os indivíduos.

Os maiores consumidores deste meio são, por região, os residentes no Sul, com 3h53m42s (mais 8.7% do que a média do universo); por classe social, os indivíduos da classe baixa, com 4h34m25s (mais 27.7% do que a média do universo); por sexo, as mulheres, com 3h55m42s (mais 9.7% do que a média do universo); por idade, os indivíduos com mais de 64 anos, com 5h26m47s (mais 52.1% do que a média) e, por situação no lar, as donas de casa, com 4h20m00s (mais 21.0% do que a média).

Pelo contrário, os jovens dos 15 aos 24 anos e os indivíduos das classes sociais alta e média alta são os que apresentam os índices de audiência de televisão mais baixos.

placeholder

Os valores de Janeiro a Setembro de 2008 correspondem a um aumento de 2.7% quando comparados com o mesmo período de 2007. Os maiores incrementos relativos foram observados junto das crianças e jovens dos 4 aos 14 anos e dos residentes no Sul. As crianças viram mais 8.4% de televisão que no mesmo período do ano transacto e os residentes no Sul aumentaram em 8.0% o seu consumo de televisão, enquanto junto dos indivíduos da classe baixa e dos idosos o aumento foi de 6.8% e 6.4%, respectivamente.

Pelo contrário, entre os residentes no Litoral Norte o consumo de televisão baixou 3.2% e entre os jovens dos 25 aos 34 anos a quebra foi de 2.3%, ao passo que na classe média, nos indivíduos dos 35 aos 44 anos e dos 55 aos 64 anos a quebra foi menor.

placeholder

Esta análise foi realizada para o período compreendido entre 1 de Janeiro e 30 de Setembro de 2008, tendo sido utilizado o software MMW/Telereport da MediaMonitor. Contacte-nos se pretende mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais
  • De momento não há acontecimentos em agenda.