Região de Lisboa responsável por 41% dos novos casos de COVID-19

Região de Lisboa responsável por 41% dos novos casos de COVID-19

placeholder

A incidência de COVID-19 na região de Lisboa é quase duas vezes superior à da região com a segunda maior taxa, de acordo como os últimos dados da DGS, que evidenciam que, na última semana, a região foi responsável por 41% dos novos casos da doença. 215 dos 308 concelhos do país estão no nível máximo de risco.

Grupo Marktest
26 janeiro 2021

Segundo os Relatórios de Situação COVID-19 da Direção Geral da Saúde, até 24 de janeiro de 2021, foram registados em Portugal um total de 643 113 casos confirmados da doença. Destes, 461 757 (ou seja, 72%), já recuperou, havendo um total de 10721 óbitos, o que equivale a 1.7% do total de infetados. Os casos ativos atingem um total de 170 635.

Nas últimas semanas assistimos a um forte crescimento no número de novos casos assim como de internados, que mais que duplicou o valor observado no último dia de 2020. Na mesma data, existiam 6420 internados nos hospitais do SNS, dos quais 767 em Unidades de Cuidados Intensivos, mais 59% do que em 31 de dezembro de 2020. O número de internados corresponde a 3.8% do número de casos ativos e os que necessitam UCI representam 11.9% daqueles.

Os dados disponíveis evidenciam que, nos primeiros 24 dias de janeiro, o número médio diário de casos confirmados atingiu os 9270, mais do dobro do verificado no mês anterior. Na mesma proporção, o número médio diário de óbitos duplicou os valores do mês anterior, passando de 77 para 156. O número médio diário de recuperados também aumentou de 3800 em dezembro para 5129 nos primeiros 24 dias de janeiro.

O gráfico da evolução diária do número de internados mostra bem a pressão a que estão sujeitos os hospitais do SNS. Os últimos dados correspondem também a uma duplicação do observado no último dia de 2020.

Neste momento, a região Norte é a que apresenta uma maior taxa de morbilidade (8008 casos por 100 mil habitantes). Lisboa é agora a região que apresenta uma maior taxa de incidência (109 novos casos por 100 mil habitantes) e de mortalidade (139 óbitos por 100 mil habitantes) e o Alentejo permanece como a região com maior letalidade (2.5 óbitos por casos confirmados).

A região de Lisboa, sozinha, foi responsável por 41% dos novos casos de COVID-19 na semana de 18 a 24 de janeiro de 2021.

Considerando o período de 5 a 18 de janeiro de 2021, apenas 19 dos 308 concelhos do país encontram-se no grupo de risco moderado (abaixo de 240 novos casos por 100 mil habitantes), 22 concelhos estão no grupo de risco elevado (têm entre 240 e menos de 480 novos casos por 100 mil habitantes), 52 estão no grupo de risco muito elevado (têm entre 480 e menos de 960 novos casos por 100 mil habitantes) e 215 estão no grupo de risco extremamente elevado ( têm 960 ou mais novos casos por 100 mil habitantes).

Relativamente à situação verificada uma semana antes, registou-se um aumento da incidência em 253 concelhos e uma diminuição em 46, tendo 9 mantido inalterada essa taxa. No total dos 308 concelhos do país, apenas 4 não continham casos reportados no Boletim da DGS: Corvo, Lajes do Pico, São Roque do Pico e Velas, todos na Região Autónoma dos Açores. À data, apenas Corvo não tinha reportado casos, o que veio a suceder mais tarde, segundo relatado pelos meios de comunicação social. A confirmar-se, a doença está ou esteve presente em todos os concelhos do país.

Esta análise foi realizada com base na informação divulgada pela Direção Geral da Saúde. Contacte-nos para mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais