Saldo de imagem de Cavaco Silva deteriora-se em Março

Saldo de imagem de Cavaco Silva deteriora-se em Março

placeholder

Num mês em que os portugueses atribuem um saldo de imagem negativo a todos os líderes partidários, é no entanto o Presidente da República, Cavaco Silva, que assiste a maior erosão neste indicador, quando analisados os resultados do Barómetro Político Marktest de Março.

Grupo Marktest
5 abril 2011

Os dados do Barómetro Político Marktest mostram que os líderes partidários com assento parlamentar vêem a sua actuação avaliada negativamente pela maioria dos portugueses, que em Março se mostraram ainda mais críticos face à actuação de Cavaco Silva e Pedro Passos Coelho, os dois políticos com maior quebra no seu saldo de imagem face ao mês anterior. José Sócrates obteve também uma depreciação do seu saldo de imagem registando mesmo o valor mais baixo de sempre, ao contrário dos restantes líderes partidários, que registaram ganhos face a Fevereiro. Esta recuperação não foi, no entanto, suficiente para obterem maioria de opiniões positivas face à sua actuação. Os portugueses mostraram-se assim, este mês, muito críticos face à actuação destas personalidades.

A actuação do Presidente da República, Cavaco Silva, embora sendo avaliada maioritariamente de forma positiva pelos portugueses, obtém em Março um saldo de imagem de apenas 10.8%, o valor mais baixo alguma vez alcançado por um Presidente da República desde que acompanhamos este indicador. Relembre-se que este saldo resulta da diferença das opiniões negativas pelas positivas, ponderado pelo peso das opiniões expressas.

O valor de Cavaco Silva representa ainda uma quebra mensal de 5.0 pontos percentuais, que foi também o máximo observado este mês entre os líderes em análise. Relativamente ao verificado há 12 meses, o saldo de imagem do Presidente da República é agora 26.3 pontos percentuais mais baixo.

O Primeiro-ministro e líder do PS, José Sócrates, mantém-se como o líder partidário com o saldo de imagem mais baixo, chegando a Fevereiro com -48.3%, o valor mais baixo de sempre para os políticos que a Marktest vem analisando ao longo dos últimos anos. Este mínimo supera o registado por Manuela Ferreira Leite em Outubro de 2009, quando o seu saldo de imagem tinha sido de 46.7%.

Face a Fevereiro de 2011, o saldo de imagem de José Sócrates regista uma quebra de 2.5 pontos percentuais, estando agora 23.5 pontos percentuais abaixo do observado 12 meses atrás.

O líder do Bloco de Esquerda, embora recuperando face à forte quebra do seu saldo de imagem que havia sido observada em Fevereiro, obteve em Março um índice de -18.5%, o que corresponde a uma subida mensal de 3.2 pontos percentuais. Observando a situação registada em Março de 2010, o saldo de imagem de Francisco Louçã está agora 21.3 pontos percentuais abaixo desse valor.

Jerónimo de Sousa, líder do PCP, foi o líder partidário que mais subiu face a Fevereiro, 5.3 pontos percentuais. Chega no entanto a Março com um saldo de imagem ainda negativo, de -8.0%, depois de no mês anterior ter registado o seu valor mais baixo de sempre. Face ao observado 12 meses atrás, o valor obtido por Jerónimo de Sousa é agora 10.1 pontos percentuais mais baixo.

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, foi o segundo político com maior quebra no seu saldo de imagem, que baixou 4.6 pontos percentuais face a Fevereiro e registou em Março um saldo negativo, de -3.9%.

Finalmente, Paulo Portas, líder do CDS-PP, obteve em Março um saldo de imagem -0.7%, o que correspondeu a uma subida de 0.8 pontos percentuais face ao mês anterior. Já quanto ao registado em Março de 2010, observa uma quebra de 14.7 pontos percentuais.

A análise evolutiva deste indicador permite verificar que José Sócrates se encontra em terreno francamente negativo chegando a um mínimo histórico. O Presidente da República vem revelando uma dinâmica de quebra, atingindo agora valores 3.7 vezes menores do que no início das nossas observações, em Janeiro de 2007. O gráfico permite também verificar que os restantes líderes partidários se posicionam agora com valores próximos entre si, mas em terreno negativo. Refira-se ainda a dinâmica registada por Francisco Louça, que nos últimos dois meses se apresenta abaixo dos valores dos restantes líderes dos partidos da oposição.

O Barómetro Político Marktest é realizado regularmente junto dos residentes no Continente com 18 e mais anos. O saldo de imagem resulta da diferença entre as opiniões positivas e as negativas, ponderada pelo peso das respostas expressas.

Os resultados deste Barómetro estão disponíveis aqui.

Consulte a Ficha Metodológica deste Barómetro ou contacte-nos para mais informações sobre este assunto

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais