Portugueses pessimistas há dez anos

Portugueses pessimistas há dez anos

placeholder

Uma análise dos dados do Barómetro Político da Marktest permite verificar como nos últimos dez anos os portugueses revelaram sempre expectativas pessimistas face ao evoluir da economia.

Grupo Marktest
12 abril 2011

Os dados do Barómetro Político de Março mostram um índice de expectativa de 23.26%, baixando 3.4 pontos percentuais face a Fevereiro. O índice, que revela que os portugueses se mostram este mês mais pessimistas face ao evoluir da situação económica pessoal e do país, vinha evidenciando uma recuperação desde Novembro de 2010, depois de em Outubro ter atingido um mínimo histórico de 14.45%.

O sentimento negativo é comum a todos os estratos da população, embora se observem algumas diferenças entre os entrevistados.

Em Março, os homens mantêm-se menos pessimistas que as mulheres, com um índice de 24.24% e 22.39%, respectivamente.

Os mais velhos são também os mais pessimistas, com um índice de 18.69% entre os inquiridos com mais de 54 anos, embora o pessimismo seja comum a todos os grupos etários.

Os residentes na região Sul, assim como os residentes no Litoral Norte apresentaram-se este mês os mais pessimistas, com um índice de 19.21% e 19.71%, respectivamente. Pelo contrário, os residentes na Grande Lisboa foram os que revelaram um menor pessimismo, com um índice de 29.59%.

Entre as classes sociais, os valores também vão descendo gradualmente das classes mais elevadas para as mais baixas, com estas a mostrarem maior pessimismo (23.2% entre a classe média baixa e baixa).

A intenção de voto não revela grande diferença nas expectativas dos portugueses, ao contrário da tendência observada nos últimos anos. Mesmo assim, os indivíduos que dizem tencionar votar PSD mostram-se mais pessimistas, com um índice de 25.86%. A influenciar para baixo este índice estão assim os inquiridos que não revelam a sua intenção de voto ou que pretendem votar em outros partidos que não o PS ou o PSD.

Inquiridos pelo Barómetro Político Marktest, os residentes no Continente com 18 e mais anos têm-se mostrado sempre pessimistas na última década. Observando os valores médios anuais, vemos que o ano em que o sentimento pessimista face ao evoluir da situação económica pessoal e do país foi menor ocorreu em 2004, com um valor máximo de 41.9%. Pelo contrário, o mínimo no período foi de 26.6% observado em 2008. Em 2009 registou-se o segundo melhor valor da década, 40.0%, um valor que baixou consideravelmente para 28.7% em 2010.

Durante estes dez anos, as expectativas dos portugueses mostraram-se optimistas (acima de 50%) por quatro momentos apenas: em Julho de 2004, em Março e Abril de 2005 e em Setembro de 2009.

Em Julho de 2004 terminava o Euro2004 em Portugal e Durão Barroso acabava de anunciar a sua demissão para vir a presidir a Comissão Europeia. Neste mês, o índice de expectativa dos portugueses subia para os 52%, depois de em Maio desse ano ter sido de 38.6% e em Junho de 48.7%. Entre Março e Abril de 2005, novas eleições legislativas haviam ocorrido há pouco, depois de Jorge Sampaio ter demitido o Governo de Santana Lopes e dissolvido a Assembleia da República. No plano internacional, falecia João Paulo II. Nestes meses, o índice de expectativa foi também optimista, com 57.58% em Março e 53.17% em Abril.

Depois desta data, só 4 anos depois se observou outro momento de optimismo: em Setembro de 2009, com 54.3%, num mês marcado por novo acto eleitoral, para a Assembleia da República a 27 desse mês, depois do primeiro mandato de José Sócrates em que havia obtido maioria absoluta.

Os momentos de fim de ciclo político têm assim marcado as expectativas dos portugueses nos últimos anos. Manter-se-á esta tendência no futuro?

O Índice de Expectativa é um indicador recolhido regularmente pela Marktest desde Março de 1990, junto de indivíduos com 18 e mais anos, residentes em Portugal Continental.

Para a aferição do índice utilizamos uma base de cerca de 800 entrevistas.

Aos inquiridos são colocadas 2 questões:

- Pensa que daqui a um ano a sua situação económica e pessoal e a do seu agregado familiar será Melhor, Igual ou Pior?
- E em relação à situação económica do país, pensa que daqui a um ano ela será Melhor, Igual ou Pior ?

O Índice de Expectativa face à situação económica resulta da conjugação das respostas obtidas a estas duas questões. Para a construção do índice é atribuído um valor de 100 às respostas "MELHOR", 50 às respostas "IGUAL" e 0 às respostas "PIOR", não entrando na análise os indivíduos que não responderam às questões. O índice geral resulta de uma média dos índices parciais.

Valores acima dos 50 pontos traduzem expectativas positivas e valores abaixo dos 50 pontos traduzem expectativas negativas, aconselhando-se para a interpretação dos resultados a seguinte grelha de análise:

Valor do Índice de Expectativa

0-25 Pessimismo acentuado
25-50 Pessimismo moderado
50-75 Optimismo moderado
75-100 Optimismo acentuado

Os resultados deste Barómetro estão disponíveis aqui.

Consulte a Ficha Metodológica deste Barómetro ou contacte-nos para mais informações sobre este assunto

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais

  • Portugal Smart Cities Summit

    Esta exposição tecnológica (que tem o apoio institucional do Ministério da Economia, do Ministério do Ambiente e do Ministério da Ciência e Tecnologia, bem como do Secretário de Estado da Energia), conta com a participação de Municípios, Startups, PMEs e Universidades.

    22 a 24 de setembro de 2020

    Fundação AIP

    FIL, Parque das Nações, Lisboa

    elisabete.martins@ccl.fil.pt

  • ONSeries Lisboa

    Nesta mostra de conteúdos televisivos de ficção nacional, estarão presentes potenciais compradores de todo o mundo.

    28 e 29 de setembro de 2020

    Inside Content

    Centro Cultural de Belém, Lisboa