Expresso online desce

Com a introdução do acesso pago à edição semanal do Expresso online, são notórias as quebras na utilização do domínio expresso.pt. Quem o confirma são os resultados do Netpanel, o estudo da Marktest que mede as audiências da Internet nos lares de Portugal Continental.

A análise dos gráficos que apresentamos não deixa dúvidas: desde que o Expresso passou a cobrar o acesso à sua edição semanal online, tanto o número de utilizadores únicos como as páginas visitadas tiveram quebras asinaláveis.

Esta decisão, apresentada como tendo sido tomada de “forma ponderada” e “fundamentada” terá tido como principal objectivo rentabilizar o negócio dos conteúdos da internet. Segundo a Direcção do Expresso “não é possível manter projectos sólidos e com uma gestão saudável quando as receitas são, ainda, incipientes e muito inferiores aos custos envolvidos”. A partir de 17 de Janeiro deste ano, estes conteúdos passaram a ser pagos.

Em Fevereiro, o site semanal.expresso.pt registava uma quebra de 75% nos seus utilizadores únicos, no lar, quando comparado com o mês de Dezembro de 2002. Também em Março este indicador registou uma quebra de 22.2% face ao mês precedente. O número de utilizadores únicos do domínio expresso.pt registou uma quebra de 6.3% em Fevereiro face a Dezembro e novamente 13.5% de Fevereiro para Março.

Maiores descidas foram sentidas quanto ao número de páginas visitadas, no lar. Em Fevereiro, o domínio expresso.pt viu descer 48% este indicador face a Dezembro e de Fevereiro para Março também registou uma quebra de 6%. Para isso contribuiu fortemente o site semanal.expresso.pt, que registou um decréscimo de 95% de Dezembro para Fevereiro e 21% de Fevereiro para Março.

Note-se que é no site semanal.expresso.pt que os conteúdos passaram a ser pagos, a partir da data referida. Apenas a página de entrada deste site continua a ser de livre acesso.

Mais informaçõs sobre o Netpanel podem ser encontradas em www.e-netpanel.com e no site da Marktest.

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais