Região de Lisboa com maior incidência de COVID-19
Região de Lisboa com maior incidência de COVID-19
placeholder
A região de Lisboa apresenta-se atualmente como aquela onde mais tem aumentado o número de casos confirmados de COVID-19 por 100 mil habitantes. Casos ativos no país superam, pela primeira vez, os 100 mil.
Grupo Marktest
12 janeiro 2021

Segundo os Relatórios de Situação COVID-19 da Direção Geral da Saúde, até 10 de janeiro de 2021, foram registados em Portugal um total de 489 293 casos confirmados da doença. Destes, 372 056 (ou seja, 76%), já recuperou, havendo um total de 7925 óbitos, o que equivale a 1.6% do total de infetados. Os casos ativos superam, pela primeira vez, os 100 mil, num total de 109 312.

Nas últimas semanas assistimos a um forte crescimento no número de novos casos assim como de internados. Na mesma data, existiam 3983 internados nos hospitais do SNS, dos quais 567 em Unidades de Cuidados Intensivos. O número de internados corresponde a 3.6% do número de casos ativos e os que necessitam UCI representam 14.2% daqueles.

Os dados disponíveis evidenciam que, depois de um forte crescimento no número diário de novas infeções durante o mês de novembro para 5204, a média diária de novos casos baixou em dezembro para 3876 mas nos primeiros 10 dias de janeiro voltou a subir, atingindo um máximo de 6866.

O número médio diário de recuperados mais que quadruplicou em novembro (de 1059 para 4637), baixando depois para 3800 em dezembro e 3339 nos primeiros 10 dias de janeiro.

A mortalidade registou também um forte incremento em novembro, quase quadruplicando os valores de outubro, passando de uma média de 18 óbitos diários para 68. Em dezembro esta média voltou a subir para 77 e nos primeiros dias de janeiro atingiu os 95 óbitos por dia.

Neste momento, a região Norte é a que apresenta uma maior taxa de morbilidade (6612 casos por 100 mil habitantes) e de mortalidade (98 óbitos por 100 mil habitantes) ao passo que Lisboa é agora a região que apresenta uma maior taxa de incidência (75 novos casos por 100 mil habitantes) e o Alentejo permanece como a região com maior letalidade (2.1 óbitos por casos confirmados).

Considerando o período de 23 de dezembro de 2020 a 5 de janeiro de 2021, 50 dos 308 concelhos do país encontram-se no grupo de risco moderado (abaixo de 240 novos casos por 100 mil habitantes), 69 concelhos estão no grupo de risco elevado (têm entre 240 e menos de 480 novos casos por 100 mil habitantes), 132 estão no grupo de risco muito elevado (têm entre 480 e menos de 960 novos casos por 100 mil habitantes) e 57 estão no grupo de risco extremamente elevado ( têm 960 ou mais novos casos por 100 mil habitantes).

Relativamente à situação verificada uma semana antes, registou-se um aumento da incidência em 245 concelhos e uma diminuição em 57, tendo 7 mantido inalterada essa taxa.

Esta análise foi realizada com base na informação divulgada pela Direção Geral da Saúde. Contacte-nos para mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais
Em Agenda ver mais