Escolas com menos alunos
Grupo Marktest,  1 março 2006

placeholder De acordo com dados do Ministério da Educação, disponíveis na análise Os Concelhos Portugueses 1995-2005, entre 1997 e 2002 o número de alunos por escola baixou 4.4%.

Entre 1997 e 2002 registou-se um aumento de 8.7% no número de estabelecimentos de ensino, o que correspondeu a um acréscimo de 1453 escolas, entre o pré-escolar e o secundário. Este número passou de 16734 estabelecimentos de ensino em 1997 para 18187 em 2002/2003.

Já no que respeita ao número de alunos, para o mesmo período, o acréscimo não foi além dos 3.9%, o que correspondeu à existência de mais 61480 estudantes. Considerando os matriculados desde o pré-escolar até ao secundário, contabilizaram-se 1,6 milhões no ano lectivo 2002/2003.

Relativamente ao número médio de alunos por escola, e devido ao facto do aumento do número de alunos ter sido inferior ao verificado no número de estabelecimentos, assistiu-se a um decréscimo de 95 em 1997 para 90 em 2002. As escolas têm, hoje, uma média de alunos inferior ao registado cinco anos antes.

Todas as regiões registaram uma diminuição do número médio de alunos por escola, à excepção do Litoral Centro e do Interior Norte, onde este número aumentou entre 1997 e 2002. Nas regiões da Grande Lisboa e do Grande Porto observaram-se as maiores quebras neste indicador, que rondaram os 35%.

O Interior Norte e o Sul são as regiões com a menor taxa de ocupação das escolas, respectivamente com 55 e 85 alunos por escola em 2002.

A maior quebra, em termos de alunos por escola, no período considerado, verificou-se no concelho de Barrancos (-60%). Neste concelho, apesar de se ter verificado um aumento do número de escolas, o número de alunos diminuiu, fazendo com que o valor do número de alunos por escola descesse de 99 para 39.

Já no que respeita aos concelhos do Porto e de Cascais (respectivamente com a segunda e terceira maior quebra de alunos por escola), os factores são diferentes. Tanto num concelho como noutro, observou-se um aumento do número de alunos e de escolas. Ainda assim, o ritmo de crescimento dos primeiros (7.1% e 11.4%, para Porto e Cascais, respectivamente) não acompanhou o crescimento das segundas (120% e 111%, pela mesma ordem).

De um modo geral, pode dizer-se que a distribuição do número de alunos por escola pelos concelhos do Continente é, entre outros factores, reflexo da maior concentração da população em idade escolar no concelhos do litoral.

O tema da Educação está desenvolvido na publicação produzida pela Marktest Os Concelhos Portugueses 1995-2005. Consulte-nos para mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais
Em Agenda ver mais