Marisco congelado em 1,5 milhões de lares

Grupo Marktest,  4 abril 2006

Segundo os dados do estudo Consumidor 2005 da Marktest, cerca de um milhão e meio de lares portugueses consomem marisco congelado.


No Continente, o Consumidor contabiliza, em 2005, 1 494 mil lares onde se consome marisco congelado, o que representa 42.6% do universo em estudo.

Uma análise evolutiva mostra como o consumo deste produto tem aumentado nos últimos anos, passando de 25.2% em 2001 para os 42.6% em 2005, observando assim um crescimento médio anual de 14.9% e de 69.0% entre aqueles dois momentos.

Observando com mais detalhe os dados relativos a 2004, quando o produto era consumido por 1 155 mil lares (33.0% do total), vemos como o Grande Porto é a região onde o produto tem maior penetração, consumido em 39.9% dos lares, contrariamente à região Sul, onde 25.3% dos lares consomem marisco congelado.

Os lares onde a dona de casa (responsável pelas compras para o lar) tem menos de 25 anos são os que mais consomem este produto, 41.6%, tal como aqueles cuja dona de casa tem entre 25 e 34 anos - 39.1% consome marisco congelado.

Por classes sociais, a penetração é maior nas classes alta e média alta, com 41.9% dos lares desta classe a consumir o produto. Pelo contrário, na classe baixa o consumo baixa para os 21.7%.

Nas ocupações do chefe de família (indivíduo que contribui com o maior rendimento para o lar), a maior penetração do produto é encontrada junto dos que exercem ocupações como empregados dos serviços, comércio e administrativos, sendo consumido em 41.7% destes lares.

Numa análise do perfil sócio-demográfico dos lares que consomem marisco congelado, vemos que 41.1% se situam nas regiões na Grande Lisboa ou no Litoral Norte, 58.2% deles têm dona de casa com idades entre 35 e os 54 anos, 60.3% pertencem às classes sociais média ou média baixa e em 50.8% os chefes de família são inactivos ou exercem ocupações como trabalhadores qualificados.

Esta análise foi realizada com base nos resultados do estudo Consumidor 2004 da Marktest. Contacte-nos para mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais