Ciclo de vida e serviços bancários

Os dados da nova análise da Marktest.com, Ciclo de Vida dos Consumidores Portugueses, mostra variações importantes no consumo de produtos/serviços bancários ao longo do ciclo de vida dos indivíduos.

Grupo Marktest,  12 julho 2007

A análise da Marktest.com sobre o ciclo de vida dos consumidores portugueses parte de uma concepção dos indivíduos enquanto entidades dinâmicas, que percorrem determinados estádios ao longo da sua vida, assumindo que esses estádios "condicionam" os seus estilos de vida e a sua predisposição para o consumo.

Esta concepção é particularmente importante para o sector financeiro, cujos produtos são mais ou menos adaptados a cada estádio do ciclo de vida dos indivíduos.

Um primeiro indicador, relativo à taxa de bancarização (posse de conta bancária), mostra que os Solteiros Dependentes são os mais afastados deste sector. Mesmo assim, uma grande maioria, 75.9%, possui conta bancária. Os ninhos vazios (casais mais idosos sem filhos) e os independentes com mais de 35 anos (mais idosos a viver sozinhos) também apresentam uma taxa de bancarização inferior à média. É junto dos casados com filhos até 6 anos que encontramos o valor mais elevado: 97.6% deles possui conta bancária.

A conta a prazo, possuída por 39.2% dos residentes no Continente com 15 e mais anos, também atinge maior penetração junto dos casados com filhos até 6 anos: metade deles possui esta aplicação financeira. Os solteiros dependentes, os outros casados, os ninhos vazios e os independentes com mais de 35 anos são, pelo contrário, os que apresentam taxas de posse mais baixas.

No que diz respeito à utilização de cartão de crédito, as diferenças entre os vários estádios do ciclo de vida são mais significativas. Mais uma vez, os mais jovens apresentam valores muito abaixo da média, ao passo que os ninhos em construção (casais jovens sem filhos) se destacam, por apresentarem valores 75% acima daquela média.

O recurso ao crédito bancário para compra de habitação surge como o indicador mais discriminante entre os analisados, pois é o que mostra mais diferenças entre os estádios no ciclo de vida. Os valores oscilam entre os 2.4% junto dos solteiros dependentes e os 48.6% junto dos ninhos em construção, que apresentam assim uma taxa que é mais do dobro do valor médio.

Consulte aqui o documento de apresentação desta análise, que pode ser adquirida aqui. Contacte-nos para mais informações sobre este assunto.



Alguns produtos relacionados com esta notícia

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais