Consumir cereais
Grupo Marktest, 22 março 2005

placeholder Os consumidores de cereais de pequeno almoço/lanche são mais de 3,3 milhões, de acordo com os resultados do estudo Consumidor 2004, da Marktest.

São 3 320 mil os residentes no Continente com 15 e mais anos que costumam consumir cereias para pequeno almoço ou lanche, o que representa 39.9% do universo em estudo pelo Consumido.

A taxa de penetração deste produto aumenta para os 44.8% no Sul e os 47.2% na Grande Lisboa. As mulheres apresentam uma taxa de consumo mais elevada do que os homens, pois 44.2% delas costuma consumidr este produto, enquanto os homens consumidores são 35.3%.

É junto dos jovens que encontramos valores mais elevados: 75.1% dos que têm entre 15 e 17 anos são consumidores de cereais, tal como 59.0% dos que têm entre 18 e 24 anos ou 46.5% dos que estão entre os 25 e os 34 anos. A partir dessa faixa etária o consumo do produto desce gradualmente, registado-se valores inferiores à média do universo.

Por classes sociais, a penetração é maior junto das classes alta e média alta, onde 52.2% consome o produto. Por ocupação, os estudantes destacam-se, pois 72.7% consome cereais de pequeno almoço ou lanche, sendo os quadros médios e superiores os que apresentam a segunda maior taxa de consumo, de 50.2%. É junto dos reformados e pensionistas que encontramos a menor penetração do produto, de 27.6%.

Numa análise do perfil sócio-demográfico dos consumidores deste produto, vemos que 42.1% deles residem nas regiões da Grande Lisboa ou do Litoral Norte, 47.7% tem menos de 35 anos, 51.8% pertence às classes sociais alta, média alta ou média e 33.2% tem ocupação de estudante ou empregado dos serviços/comércio ou administrativos.

placeholder

De acordo com os elementos do estudo Brand Index 2004 da Marktest, vemos que os consumidores de cereais de pequeno almoço ou lanche têm uma afinidade elevada com todas as marcas de cereais, especialmente com a Clusters, Special K e Nestum. Registam igualmente uma grande afinidade com marcas como a Guaraná Brasil, nos refrigerantes de fruta com gás, a SportZone, nas grandes superfícies, ou a Sonasol Lãs, nos detergentes para lavar roupa na máquina - marcas com as quais apresentam índices de consumo acima da média.

Pelo contrário, apresentam menor afinidade com marcas como a Chivas Regal, nos whiskies, a Cristal, nas cervejas com álcool, a Linic, nos champôs, ou a Gillette, nos desodorizantes - marcas de que registam índices de consumo abaixo da média do universo.

Esta análise foi realizada com base nos resultados dos estudos Consumidor 2004 e Brand Index 2004 da Marktest. Contacte-nos para mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais