Ficção e informação representam dois terços do consumo de Tv
Segundo os dados do serviço Telereport da MediaMonitor, no primeiro trimestre de 2009, dois terços do consumo televisivo dos quatro canais nacionais de sinal aberto foi relativo a programas de ficção e informação, considerando o espaço dedicado à programação.
Grupo Marktest,  13 outubro 2009

As televisões nacionais RTP1, RTP2, SIC e TVI ofereceram, durante o primeiro trimestre de 2009, 6 993 horas de programação (excluindo publicidade e espaços de autopromoção).

A ficção foi o género mais oferecido por estes canais, num total de 2 054 horas de programas de ficção, um valor que corresponde a 29.4% da emissão programática do período. A informação ocupou 23.5% do tempo em grelha destes canais, enquanto o divertimento foi responsável por 19.4% da sua oferta de programas.

placeholder

Em termos de audiência, a ficção representou 36.0% do consumo televisivo do período, o que significa que, em cada dez minutos de programas vistos, mais de três foram dedicados a programas de ficção. A informação representou 30.1% da procura destes canais. Em conjunto, estes dois géneros representaram dois terços do consumo observado neste período (66.1%).

placeholder

Uma análise por canais mostra uma estrutura diferenciada, quer na oferta, quer na procura. Se a SIC e a TVI, por tipo de programa, apresentam estruturas semelhantes tanto na emissão como na recepção, já a RTP1 e a RTP2 têm um perfil diferente.

Na RTP1, os programas mais oferecidos no primeiro trimestre do ano foram os de divertimento, que representaram 31.8% da grelha do canal, seguidos pela informação, com 30.3%, e pela ficção, com 28.0%.

A RTP2 é o canal com uma grelha mais diferenciada dos restantes. Aqui, o maior peso foi dado aos programas de cultura geral/conhecimento, que representaram 30.9% da oferta do canal, seguidos pelos programas de juventude, que ocuparam 28.5% da sua grelha, e pelos de informação, com 17.5%.

Na SIC, a ficção foi o género mais oferecido, representando 40.2% dos programas que o canal emitiu no período, seguido da informação, com 24.0% e do divertimento, com 22.1%.

Esta estrutura tem semelhanças com a da TVI, que dedicou 45.9% da sua grelha à ficção, seguida do divertimento, com 23.3% e da informação, com 22.5%.

placeholder

Na estrutura da audiência estes perfis mostram algumas alterações.

Assim, na RTP1, os programas mais vistos foram os relativos à informação, que representaram 40.5% da procura do canal, seguidos pelos programas de divertimento (32.0%) e de ficção (18.3%).

Na RTP2, os géneros mais consumidos foram relativos a juventude (35.7% do consumo do canal), cultura geral/conhecimento (26.2%) e ficção (17.3%).

Na SIC, foram mais relevantes os programas de ficção (36.5%), seguidos da informação (29.7%) e do divertimento (23.6%).

Finalmente, na TVI os géneros mais consumidos foram igualmente a ficção (56.7%) e a informação (24.5%).

placeholder

Esta análise foi realizada com base em dados da Marktest Audimetria e da MediaMonitor, através da Markdata Media Workstation (MMW)/Telereport. Contacte-nos para mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais
  • Social Media em Market Research

    Evento online, cujo tema é a utilização das redes sociais em extudos de mercado. Este evento tem a colaborção de Ray Poynter, especialista em Market Research e Insights

    29 de junho de 2021

    APODEMO em colaboração com a MRS

    formacao@apodemo.pt

  • QSP Summit

    Uma das mais relevantes conferências de Management e Marketing da Europa.

    1 a 2 de julho de 2021

    QSP - Consultoria de Marketing

    Exponor, Porto

    info@qspsummit.pt