O valor do mercado de estudos de mercado

Grupo Marktest,  27 outubro 2005

A Esomar estima que o mercado dos estudos de mercado valha 21,5 mil milhões de dólares em 2004 (17,3 mil milhões de euros).

Este valor representaria um crescimento de quase 14% face ao ano anterior, mas a eliminação das flutuações do dólar e da sua desvalorização relativamente às outras moedas colocam este crescimento em 7.5%. Considerando o valor da inflação, a Esomar estima que o mercado tenha crescido em termos reais 5% de 2003 para 2004.

Uma análise por grandes regiões do globo mostra como o conjunto dos países europeus representam 44.9% deste mercado, a América do norte tem uma quota de 36.5% e as restantes regiões (Ásia Pacífico, Médio oriente e África e América central e do sul) representam 18.5% do valor total.

Os Estados Unidos são o país com maior volume de facturação em estudos de mercado, avaliado em 5,9 mil milhões de euros, 34% do mercado global. O Reino Unido é o país europeu onde esta actividade atinge valores superiores, mas muito abaixo do líder. Aqui, o valor do mercado de estudos de mercado é de 1,9 mil milhões de euros, o que representa 11% do total. Estes dois países em conjunto representam quase metade da actividade global (45%).

Alemanha e França são o terceiro e quarto mercado dos estudos de mercado com valores de 1,7 mil milhões de euros e de 1,5 mil milhões de dólares, respectivamente.

Portugal ocupa a 29ª posição neste ranking, com um valor de 60 milhões de euros, logo depois da Grécia, com 63 milhões de euros e muito distante da Espanha, que ocupa a 8ª posição no ranking mundial, com 380 milhões de euros.

As estimativas da Esomar indicam que o crescimento esperado deste mercado no nosso país para 2005 seja de 5%, o mesmo valor do que no país vizinho.

Uma análise mais detalhada do nosso mercado mostra que os clientes nacionais representam 80% da facturação total. O mercado da indústria é o de maior relevância entre nós, responsável por 49% da facturação dos estudos de mercado. O mercado da media representa 16% e o dos serviços 10%. Dois terços do mercado nacional estão assim concentrados nestas três actividades.

Os estudos quantitativos são os mais relevantes no nosso país, responsáveis por 76% da facturação total. Aos estudos qualitativos cabe 24% do mercado e aos restantes estudos 1%.

O mercado dos ad'hoc lidera, com 54% da facturação total. Os painéis representam 32%, os outros estudos contínuos 11%, os omnibus 2% e outros 1%.

Quanto ao método de recolha, o postal representa 1% da facturação total, o telefónico 16%, o pessoal 22%, os qualitativos 24% e outros métodos 37%.

O relatório da Esomar é o sétimo conduzido pela associação, mas o primeiro realizado em colaboração com a EFAMRO. É baseado principalmente em informação fornecida pelas associações de empresas de cada país, bem como em estimativas dos representantes da Esomar e outras fontes privilegiadas de todo o mundo.

O objectivo do estudo foi o de medir a facturação da indústria de pesquisa e cobre o trabalho conduzido pelas empresas ou institutos de market research. Exclui por isso o trabalho conduzido internamente pelos clientes, agências de publicidade, universidades, departamentos governamentais ou instituições de pesquisa não lucrativas.

Consulte o site da Esomar ou contacte-nos para mais informações sobre este assunto.

Notícias da mesma semana

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais