Imagem do Governo ainda negativa

Em Novembro, a actuação dos ministros que compõem o actual Governo recebeu, em média, nota negativa dos inquiridos no Barómetro Marktest/DN/TSF.

Grupo Marktest,  7 dezembro 2006

De acordo com os resultados de Novembro deste Barómetro, o índice médio de avaliação da actuação dos membros do Governo é de -0.70% para o conjunto dos dezassete ministros liderados por José Sócrates.

António Correia de Campos, ministro da Saúde, é o membro do Governo com pior avaliação, contrariamente a Luís Amado, ministro de Estado e Negócios Estrangeiros, que recebe a melhor nota.

Já o primeiro-ministro, José Sócrates, recolhe opiniões maioritariamente positivas, registando uma avaliação acima da média do Governo.

Luís Amado, ministro de Estado e Negócios Estrangeiros, foi em Novembro, o ministro com o saldo de imagem mais elevado (13.2%, o que significou uma subida de 51.7% face a Outubro). Seguiu-se António Costa, ministro de Estado e Administração Interna, com um saldo de 9.7%, um acréscimo de 57.5%, relativamente ao mês transacto. Em terceiro lugar, encontra-se Nuno Severiano Teixeira, que, com um saldo de 8.5%, protagonizou a maior subida entre Outubro e Novembro: 60.9%.

Em Novembro, Mariano Gago, ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, não foi além do quarto lugar, com um saldo de 8.1%, o que representou uma quebra de 44.2%.

Na sétima e oitava posição ficaram, respectivamente, Pedro Silva Pereira, ministro da Presidência (com um saldo de 2.7%), e Augusto Santos Silva, ministro dos Assuntos Parlamentares (com um saldo de 2.6%).

Entre os ministros que em Novembro obtiveram uma avaliação positiva, o último lugar coube a Isabel Pires de Lima, com um saldo de 2.1%.

Nunes Correia, ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Desenvolvimento Regional, obteve um saldo que não foi além de -0.5%, ainda assim acima do valor médio do elenco governativo (-0.7%).

Os restantes ministros obtiveram saldos de imagem abaixo da média. Assim, na décima primeira e décima segunda posição ficaram os ministros Fernando Teixeira dos Santos (ministro de Estado e das Finanças) e Mário Lino, ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, com um saldo de 1.8% e -1.9, respectivamente.

O saldo do ministro da Economia e Inovação, Manuel Pinho, não foi além dos -3.2% e Jaime Lopes da Silva (ministro da Agricultura) obteve um saldo de -4.3%, seguido do ministro do Trabalho e Solidariedade Social, José Vieira da Silva com -7.2%.

Os ministros com os saldos de imagem mais baixos foram Maria de Lurdes Rodrigues (Educação) e António Correia de Campos, ministro da Saúde, respectivamente com um saldo de -21.2% e -26.5%.

O saldo de imagem dos ministros é um índice calculado através do saldo de respostas que classificam positivamente a sua actuação pelas que a classificam negativamente, ponderado pelo peso das respostas expressas, em percentagem.

Veja a Ficha Metodológica do Barómetro Marktest/DN/TSF e consulte-nos para mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais