Azambuja trasacciona os prédios mais caros

Uma análise dos dados do INE, disponíveis no sistema de informação Sales Index da Marktest, mostra que no concelho de Azambuja o valor dos prédios transaccionados é mais de duas vezes e meia superior à média do país.

Grupo Marktest,  29 novembro 2007

Segundo as estatísticas do INE relativas às transacções de prédios, em 2004, o concelho de Azambuja concentrou 0.1% do total destas transacções; mas, em termos de valor associado, neste concelho concentrou-se 0.4% do total. Neste concelho o valor médio das transacções é mais de duas vezes e meia superior à média do país.

No total, foram transaccionados nesse ano 276 292 prédios, por um valor superior a 23 mil milhões de euros, o que equivale a um valor médio superior a 84 mil euros por transacção.

Lisboa encabeça a lista dos concelhos onde mais transacções foram efectuadas e onde estas tiveram um maior valor. Foram 15 984 os prédios aqui transaccionados, num valor total superior a 3,2 mil milhões de euros, mais de 200 mil euros por transacção.

Da lista dos 10 concelhos com maior número de transacções de prédios fazem ainda parte Sintra (8699), Vila Nova de Gaia (6019), Porto (5829), Cascais (5113), Matosinhos (4892), Braga (4411), Almada (4254), Oeiras (4192) e Setúbal (3800). No conjunto, estes dez concelhos concentraram 22.9% do total transaccionado nesse ano.

Para além de Lisboa, estas transacções tiveram maior valor nos concelhos de Sintra (871 milhões de euros), Oeiras (826 milhões de euros), Cascais (821 milhões de euros), Vila Nova de Gaia (762 milhões de euros), Porto (660 milhões de euros), Loulé (525 milhões de euros), Matosinhos (456 milhões de euros), Loures (449 milhões de euros) e Vila Franca de Xira (398 milhões de euros). No total, estes 10 concelhos foram responsáveis por 38.6% do valor transaccionado neste mercado.

Uma análise do valor médio por transacção revela, no entanto, um ranking diferente. Ele é encabeçado pelo concelho de Azambuja, com um valor médio de 210 mil euros por prédio (mais de duas vezes e meia o valor médio do país). Fazem ainda parte deste ranking os concelhos de Lisboa (200 mil euros), Oeiras (197 mil euros), Mora (162 mil euros), Cascais (161 mil euros), Santa Cruz (156 mil euros), Loulé (152 mil euros), Loures (130 mil euros), Lagos (130 mil euros) e Vila Nova de Gaia (127 mil euros).

Azambuja, que lidera em 2004, ocupou a 13ª posição neste indicador em 2003 e a 23ª em 2002, alturas em que o ranking foi sempre encabeçado pelo concelho de Lisboa. Mesmo assim, o concelho de Azambuja apresentou sempre nestas datas um valor por prédio superior à média do país (em 2002 obteve um valor 23% acima da média e em 2003 registou um valor 43% maior do que a média).

No mapa seguinte representam-se a escuro os concelhos onde o preço médio por transacção é superior à média do país. Para além dos concelhos limítrofes de Lisboa e Porto, são de destacar os concelhos do Algarve, tal como alguns concelhos da costa alentejana (Grândola e Sines), Évora e Mora, no sul, e Coimbra, Aveiro e Viseu, no norte, que também registam valores superiores à média. A análise do mapa mostra ainda uma "área de influência" de Lisboa que se estende até Santarém e Óbidos, a norte do Tejo, e Palmela e Sesimbra, a sul do Tejo, onde também se transaccionam prédios mais caros do que na média do país.

Esta análise foi realizada com base em informação constante no sistema Sales Index da Marktest. Contacte-nos para mais informação sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais