Intenções de voto no PS voltam a baixar

Os resultados de Fevereiro do Barómetro Político Marktest mostram nova quebra nas intenções de voto no PS.

Grupo Marktest,  28 fevereiro 2008

Pelo terceiro mês consecutivo, o PS volta a registar uma quebra nas intenções de voto, de acordo com os dados do Barómetro Político Marktest. 36.1% dos inquiridos expressaram, em Fevereiro de 2008, o seu sentido de voto no PS, reflectindo uma quebra de 2 pontos percentuais face ao mês anterior.

Mantendo praticamente inalterado o valor de Janeiro de 2008, o PSD regista 33.4% das intenções de voto - menos 2.7 pontos percentuais do que o PS.

Com 12.8%, o PCP/CDU vê reforçadas as intenções de voto. Alcança este mês o valor mais alto desde Janeiro de 2007, consolidando a sua posição como terceira força partidária.

BE (8%) e CDS/PP (5.6%) surgem em quarto e quinto lugar, respectivamente.

Avaliação de Imagem do Presidente da República

A percentagem de inquiridos que considera a actuação de Cavaco Silva positiva é em Fevereiro de 2008 de 66.2%. Após uma quebra registada em Janeiro de 2008, assiste-se agora a um aumento de 2 pontos percentuais na avaliação positiva da actuação do Presidente da República.

Avaliação de Imagem 1º Ministro e líderes do PSD

Após ter alcançado, em Janeiro de 2008, a menor percentagem de inquiridos que consideram a sua actuação positiva, José Sócrates regista uma nova quebra em Fevereiro de 2008 (29.8%).

Pelo seu lado, Luís Filipe Menezes, depois de atingir em Novembro de 2007 a maior percentagem de avaliações positivas (26.9%), tem desde então registado uma diminuição na percentagem de inquiridos que o avalia positivamente, alcançando este mês 21.9%.

Este mês, a diferença entre a avaliação positiva da actuação de José Sócrates e de Luis Filipe Meneses é de 7.9 pontos percentuais.

Índice de Expectativa

Embora com um valor muito próximo do do mês anterior, regista-se agora o mais acentuado pessimismo desde Janeiro 2007 - com o índice de expectativa a baixar para os 31.4%.

Desde Outubro de 2007, altura em que se registou uma ligeira inversão da tendência de pessimismo, este indicador tem vindo a registar sucessivos afastamentos do optimismo.

O Índice de Expectativa é um indicador recolhido regularmente pela Marktest desde Março de 1990, junto de indivíduos com 18 e mais anos, residentes em Portugal Continental.

Para a aferição do índice utilizamos uma base de 800 entrevistas.

Aos inquiridos são colocadas 2 questões:

- Pensa que daqui a um ano a sua situação económica e pessoal e a do seu agregado familiar será Melhor, Igual ou Pior?
- E em relação à situação económica do país, pensa que daqui a um ano ela será Melhor, Igual ou Pior ?

O Índice de Expectativa face à situação económica resulta da conjugação das respostas obtidas a estas duas questões. Para a construção do índice é atribuído um valor de 100 às respostas "MELHOR", 50 às respostas "IGUAL" e 0 às respostas "PIOR", não entrando na análise os indivíduos que não responderam às questões. O índice geral resulta de uma média dos índices parciais. Valores acima dos 50 pontos traduzem expectativas positivas e valores abaixo dos 50 pontos traduzem expectativas negativas, aconselhando-se para a interpretação dos resultados a seguinte grelha de análise:

Valor do Indice de Expectativa
0-25 Pessimismo acentuado
25-50 Pessimismo moderdo
50-75 Optimismo moderado
75-100 Optimismo acentuado

Os resultados deste Barómetro estão disponíveis aqui.

Consulte a Ficha Metodológica deste Barómetro ou contacte-nos para mais informações sobre este assunto

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais