Estudos de mercado em Portugal: preços abaixo da média

Grupo Marktest,  6 outubro 2005

Segundo os resultados do estudo de preços recentemente divulgados pela European Society for Marketing and Opinion Research (Esomar), o Japão é o país mais caro para a realização de estudos de mercado. Neste país, o preço para a realização de um estudo é mais de duas vezes superior à média dos 51 países analisados pela Esomar. O Japão apresenta um índice de preços de 216, para uma média global de 100.

Para os onze tipos de estudos para os quais a Esomar solicitou orçamentos, o Japão apresentou os valores mais elevados em 6 deles. Nos restantes 5, os preços apresentados pelas empresas japonesas eram os 2º, 3º e 4º mais elevados.

Na Austrália e no Reino Unido os preços dos estudos de mercado são, respectivamente, 84% e 82% mais caros que na média global. A França, com um índice de 172 e os Estados Unidos, com 171, também apresentam valores muito acima da média.

Este país ocupava a primeira posição no anterior ranking, elaborado em 2003. A crescente desvalorização do dólar face às outras moedas explica em grande medida a sua descida à 5ª posição do ranking em 2005. A Esomar refere que não há alterações significativas nas posições dos restantes países.

Portugal apresenta preços 11% abaixo da média global, com um índice de 89. Posiciona-se logo atrás da Grécia, que tem um índice de 93 e um pouco à frente do Brasil, Eslovénia e Emirados Árabes Unidos, todos com um índice de 87.

O nosso país ocupa, em 2005, a 18ª posição no ranking, subindo dois lugares em relação a 2003 e observando um aumento de 12 pontos no seu índice global.

Em Portugal, os tracking face to face no domicílio do entrevistado e os pré-testes assistidos por computador são os tipos de estudos que registam valores um pouco acima da média, com índices de 103 e 105, respectivamente. Pelo contrário, os estudos mais baratos são os de satisfação de clientes (200 entrevistas), que registam um índice de 68.

O Equador é o país mais barato para a realização de estudos de mercado, com preços 73% abaixo da média. É seguido pela Índia e pela Bulgária, onde os estudos apresentam valores 65% mais baratos que a média.

Este é o sexto estudo do género que a Esomar elabora. A Esomar convidou 2263 empresas de research para participar, tendo recebido 522 respostas. Foi solicitado a cada participante um orçamento para a realização de diferentes tipos de estudos. Foram recebidas, através de preenchimento de um questionário online, respostas de 67 países, mas em apenas 51 deles se receberam 3 ou mais respostas, pelo que são estes os que constituem o objecto da análise agora divulgada.

Consulte o site da Esomar ou contacte-nos para mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais