Mercado dos estudos de mercado cresceu 4.3% em 2005

Segundo os dados revelados recentemente pela Esomar, o mercado dos estudos de mercado mantém-se saudável, com um crescimento real de 4.3% em 2005.

Grupo Marktest,  1 agosto 2006

A edição de 2005 do relatório da Esomar sobre o mercado global dos estudos de mercado, realizado pela KPMG, demonstra que este mercado se mantém saudável, com taxas de crescimento de longo prazo entre 4 e 6%. Os novos estados membros da UE e a Ásia continuam a ser os mercados mais dinâmicos. No relatório, é igualmente evidenciado o sucesso das novas metodologias, como a pesquisa online, que agora representa 20% do investimento em estudos de mercado a nível global.

A indústria dos estudos de mercado representa actualmente cerca de 23,290 milhões de USD, mais 7% do que em 2004 (considerando a inflação, o crescimento real é de 4.3%). Os novos membros da UE e os países da Ásia-Pacífico obtiveram taxas de crescimento real de 7.4%, demonstrando o dinamismo dessas regiões.

Os mercados da UE 15 obtiveram um crescimento de 5.4%, um ponto acima da média. Com um valor estimado de 10,437 milhões de USD, a Europa continua a ser a região mais importante da indústria, representando 45% do volume total de negócios, seguida pela América do Norte, com 8,295 milhões de USD ou 36% do total.

Os mercados mais dinâmicos foram a Letónia (crescimento de 34%), China (25%), Tailândia (23%), Bulgária (22%) e Malásia (20%). Entre os mercados de maior dimensão, foi em França que se registou a taxa de crescimento mais elevada, de 3.2%, seguida da Alemanha (2.8%), EUA (2.1%) e Japão. O Reino Unido manteve-se estável, com um crescimento de 0.1%.

A ESOMAR evidencia que, neste momento, a recolha online desempenha um importante papel nesta indústria, representando 20% do investimento em recolha de informação, um valor que quase duplicou face a 2004, quando representava 11%.

As estrevistas presenciais (face-to-face) caíram drasticamente. Neste momento representam 21% da recolha de informação, face aos 31% que detinham em 2004. As entrevistas telefónicas são actualmente o método de recolha de informação mais utilizado, representando 22% do total (menos dois pontos do que em 2004). O rácio quantitativo/qualitativo mantém-se constante face a 2004: 80% das metodologias são quantitativas e 20% qualitativas.

Consulte o site da Esomar ou contacte-nos para mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais