Nova quebra do Índice de Expectativa em Setembro

De acordo com o Barómetro Marktest/DN/TSF, o índice de expectativa voltou a baixar em Setembro, o que significa que os portugueses se mostram mais pessimistas quanto à evolução da economia pessoal e do país.

Grupo Marktest,  4 outubro 2007

Em Setembro o índice de Expectativa apresentou um decréscimo face a Julho (mês do último Barómetro Marktest/DN/TSF). Neste último mês o valor do índice foi de 35.1, menos 7.7% relativamente a Julho e menos 19.3% relativamente ao período homólogo.

Comparando a população masculina com a feminina, observam-se diferenças quanto ao índice de expectativa. Entre os homens, e apesar de permanecerem mais optimistas comparativamente às mulheres, o índice de expectativa observou um decréscimo (de 46 em Julho para 39.4 em Setembro). Já entre as mulheres, este índice subiu de 30.7 em Julho para 31 em Setembro.

Relativamente aos resultados segundo a estrutura etária dos inquiridos, observa-se uma ligeira subida (2.3%) na população entre os 35 e os 54 anos, chegando a Setembro com 34.4. A população com mais de 55 anos é a mais pessimista com um índice de 27.8 (o que significou uma quebra de 21.3% entre Julho e Setembro). A população entre os 18 e os 34 anos, apesar da quebra mensal de 4.1%, manteve-se como a mais optimista, com um índice de expectativa de 43.4.

Nas Regiões Marktest observou-se uma descida generalizada do índice de expectativa, à excepção da região Sul.

O Litoral Centro foi a região mais pessimista com um índice de 29.1, apresentando uma quebra de 5.6% face a Julho.

Seguiu-se o Interior Norte com 33.8 e a região Sul, com 35.2.

O Grande Porto e o Litoral Norte obtiveram índices de expectativa aproximados, respectivamente 36.3 e 36.6, sendo que nesta última região verificou-se maior quebra entre Julho e Setembro: -16.9%

A região da Grande Lisboa, apesar da descida de 6.9% entre Julho e Setembro, foi a que apresentou o índice de expectativa mais elevado: 38.7.

Observando os dados por intenção de voto, os inquiridos que pensam votar no PS continuam a ser os mais optimistas, com 52.9 pontos, o que significou uma descida do valor mensal de 13.5%. Entre os eleitores cuja intenção de voto é PSD, este índice foi de 32.7%, tendo registado uma quebra de 5.7% relativamente a Julho.

Numa análise estrutural deste indicador, vemos que, nos últimos cinco anos os portugueses apenas se mostraram optimistas (com um índice igual ou superior a 50) em três momentos: Julho de 2004, Março de 2005 e Abril de 2005. Em todos os outros períodos observaram-se valores que exprimem expectativas pessimistas quanto à evolução futura da economia nacional e pessoal.

Nesse período, o valor mais baixo foi observado em Outubro de 2005, quando as expectativas "bateram no fundo", com um índice de 26.33. Sete meses antes, em Março de 2005, havia-se registado o valor mais elevado dos últimos cinco anos, quando o índice subiu aos 57.58 pontos.

Os 35.08 pontos do índice observados em Setembro deste ano situam-se abaixo da média dos últimos cinco anos (37.29).

O Índice de Expectativa consta do Barómetro Marktest/DN/TSF, que é realizado regularmente junto dos residentes no Continente com 18 e mais anos. Este índice resulta do tratamento das respostas dadas a duas questões: "Pensa que daqui a um ano a sua situação económica e pessoal e a do seu agregado familiar será Melhor, Igual ou Pior?" e "E em relação à situação económica do país, pensa que daqui a um ano ela será Melhor, Igual ou Pior?".

Consulte a Ficha Metodológica deste Barómetro. Para mais informações sobre este assunto, contacte-nos

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais