Indústria da alimentação lidera publicidade

Grupo Marktest,  1 março 2005

De acordo com os dados do serviço de monitorização de investimentos publicitários da MediaMonitor, a indústria da alimentação foi o sector que mais investiu em publicidade em 2004, com montantes que representaram 12.3% do total.

Em 2004, o investimento publicitário, a preços de tabela, situou-se muito perto dos 3 mil milhões de euros. O sector mais representativo foi o da indústria da alimentação. Com os seus 369 milhões de euros investidos em televisão, rádio, imprensa, outdoor e cinema, o sector representou 12.3% do total do investimento em publicidade.

Na evolução mensal dos investimentos do sector, vemos como eles crescem de Janeiro a Maio, mês em que assumem maior expressão, com 44 milhões de euros. A partir daí, dá-se uma quebra, que é revertida em Setembro, quando novamente a tendência é para a subida da publicidade do sector. Mesmo assim, os investimentos do primeiro semestre superam os do segundo (53.3% e 46.7% do total, respectivamente).

A indústria dirigiu o grosso do seu investimento para publicidade na televisão, que recolheu 91.0% do total. Ao outdoor foi dirigido 5.0% do budget, seguido da imprensa, com 2.7%, da rádio, com 1.0% e do cinema, com 0.3%.

O maior anunciante da indústria da alimentação foi a Danone Portugal, com valores que ultrapassaram os 54 milhões de euros (preços de tabela), o que representou 36.1% do total investido pelo sector.

A Nestlé Portugal foi o segundo maior anunciante, responsável por um volume de publicidade perto dos 40 milhões de euros, ou 10.7% do total da indústria da alimentação.

A Lactogal colocou-se na terceira posição nos investidores deste sector, com montantes superiores aos 36 milhões de euros, 10.0% do total da indústria da alimentação.

A categoria dos lácteos é a mais importante na indústria da alimentação. Esta categoria foi responsável por colocação de quase 133 milhões de euros em publicidade, 36.1% do total do sector.

A classe de produtos que mais apostou em comunicação publicitária foi a dos iogurtes, com um volume superior a 85 milhões de euros, o que representou 64.0% da categoria dos lácteos e 23.1% da indústria da alimentação. Nos iogurtes, a publicidade foi sobretudo orientada para os dietéticos e os regeneradores, que em conjunto representaram 59.8% da publicidade da classe (36.3% e 23.5%, respectivamente).

A categoria das sobremesas e guloseimas foi a segunda maior investidora deste sector, com montantes superiores a 54 milhões de euros, 14.8% do sector. Nesta categoria, a maior parte do investimento foi dirigida à classe dos chocolates, que representaram 46.8% da categoria, sendo os bombons e os snacks os produtos mais representativos (17.1% e 14.3% da categoria, respectivamente).

A categoria dos cereais foi a terceira com mais publicidade na indústria da alimentação, com um volume de mais de 40 milhões de euros, 11.0% do sector. Dentro desta categoria, tiveram maior expressão os investimentos da classe dos derivados de cereais, com 71.7% da categoria, sendo os flocos de cereais os produtos com mais publicidade (62.7% do total da categoria).

Esta análise foi realizada com base em informação da MediaMonitor, do seu serviço de monitorização de investimentos publicitários multi-meios. Os valores apresentados referem-se a preços de tabela. Contacte-nos para mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais