Expectativa segue pessimista

Grupo Marktest,  6 dezembro 2005

Os portugueses continuam pessimistas face à situação económica pessoal e do país, de acordo com os resultados de Novembro do Barómetro Marktest/DN/TSF.

Apesar de em Novembro este índice ter registado uma melhoria face a Outubro, a verdade é que os portugueses ainda dão mostras de grandes preocupações face ao evoluir da economia pessoal e do país.

O índice de expectativa atinge em Novembro um valor de 29.91, muito abaixo dos 50 pontos, o limiar do optimismo.

A tendência estrutural deste índice mantém-se em Novembro, com os homens a revelarem expectativas menos pessimistas (35.18, face aos 25.11 das mulheres), tal como os mais jovens.

Foi, aliás, no grupo etário dos 18 aos 34 anos que ocorreu a maior subida mensal deste indicador, que chegou a Novembro com um valor de 40.23. Os indivíduos com mais de 34 anos registam um índice de 24.98, abaixo dos 25 que separa o pessimismo moderado do acentuado.

A intenção de voto é a variável mais discriminante na análise deste indicador, já que os inquiridos que afirmam tencionar votar PS nas legislativas são os que se mostram menos pessimistas, com um índice de 43.82, perto do optimismo moderado, ao contrário dos eleitores PSD, com um índice de 28.9.

A análise por região mostra, pelo contrário, menores variações, com os seus residentes a situarem-se maioritariamente na zona do pessimismo moderado. Os valores não excedem os 33.02 observados na Grande Lisboa, sendo o Interior Norte a região mais pessimista e a única região que se encontra no limiar do pessimismo acentuado, com um índice de 25.

O Índice de Expectativa resulta do Barómetro Marktest/DN/TSF, que é realizado regularmente junto dos residentes no Continente com 18 e mais anos. Consulte a Ficha Metodológica deste Barómetro ou contacte-nos para mais informações sobre este assunto.

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais