Coca-Cola é a marca mais valiosa

A Interbrand apresentou o seu sétimo ranking das marcas mais valiosas do mundo num estudo para a BusinessWeek. A liderança pertence, mais uma vez, à Coca-Cola.

Grupo Marktest,  23 agosto 2007

A Coca-Cola lidera o ranking Interbrand, com o valor de marca de 65 mil milhões de dólares. A marca ocupa a primeira posição há sete anos consecutivos, desde o início da divulgação deste ranking. A Microsoft e a IBM mantêm o segundo e terceiro lugares, com um valor respectivo de mais de 58 mil milhões e 57 mil milhões de dólares, respectivamente. Tal como no ano passado, a marca Google protagonizou a maior subida, enquanto que em sentido oposto, a Ford foi a marca que mais desvalorizou relativamente ao ano passado.

Logo em seguida às três primeiras colocadas, vêm a GE (US$ 51,569 M), Nokia (US$ 33,696 M), Toyota (US$32,070M), Intel (US$ 30954 M), McDonald's (US$ 29,398 M), Disney (US$ 29,210M) e Mercedes Benz (US$ 23,568M). Neste grupo, em relação ao ano passado, Nokia (quinta colocada), Toyota (em sexto) e McDonald's (em oitavo lugar) subiram uma posição cada. Já a Intel e a Disney, perderam as quinta e oitavas posições, respectivamente.

Das cinco primeiras marcas, quatro são dos Estados Unidos, que aliás detém neste Top 100, 53 marcas. As marcas europeias concentram uma quota de 36%, sendo a finlandesa Nokia a melhor colocada (em quinto lugar). Os restantes 11% de quota deste ranking pertencem ao Japão e à República da Coreia.

Em termos de maiores subidas, o grande destaque é dado à marca Google que teve uma valorização de 44%, em 2007. Esta marca tem ficado mais valiosa a cada ano, tendo já em 2006 crescido 46%. Este site subiu de 38º em 2005 para 20º em 2007 com um valor de 17 837 milhões de dólares.

Salienta-se ainda a subida de 22% da marca espanhola Zara, que com um valor de 5165 milhões de dólares ocupa a 64ª posição. A terceira maior subida foi protagonizada pela Apple, que com um valor de 11 037 milhões de dólares chega a este ranking de 2007 em 33º lugar.

As marcas que mais perderam posição no ranking foram a Ford (41ª), GAP (61ª) e Kodak (82ª), que já estavam em declínio desde 2005, além da Pizza Hut (74ª) e Motorola (77ª).

Para fazer parte deste ranking é necessário que um terço da facturação seja realizada fora do país de origem, ser uma marca com que os consumidores interajam directamente, ser reconhecida por públicos que não sejam só o seu alvo (muitas pessoas que não compram videojogos habitualmente, conhecem a Nintendo). Para além disto as marcas terão de ser geradoras de ganhos consideráveis nos principais mercados globais, além de ter uma projecção de cinco anos de lucro crescente.

Arquivo de notícias

Clipping

ver mais

Em Agenda ver mais