Expectativas mais pessimistas em Novembro

Os resultados de Novembro do Barómetro Marktest/DN/TSF indicam uma nova quebra do índice de expectativa dos portugueses, que assim mostram maior pessimismo face à evolução da situação económica pessoal e do país.

Grupo Marktest,  11 dezembro 2007

O Índice de Expectativa sofreu uma ligeira quebra face a Outubro, apresentando no mês de Novembro 35.7 pontos, de acordo com o Barómetro Político Marktest/DN/TSF.

Segundo estes números, os portugueses intensificam o sentimento de pessimismo relativamente à evolução da situação económica pessoal e do país.

Numa análise estrutural deste indicador, vemos que, nos últimos cinco anos, os portugueses apenas se mostraram optimistas (com um índice igual ou superior a 50) em três momentos: Julho de 2004, Março de 2005 e Abril de 2005. Em todos os outros períodos observaram-se valores que exprimem expectativas pessimistas.

Nesse período, o valor mais baixo foi observado em Outubro de 2005, quando as expectativas "bateram no fundo", com um índice de 26.33. Sete meses antes, em Março de 2005, havia-se registado o valor mais elevado dos últimos cinco anos, quando o índice subiu aos 57.58 pontos, em zona de optimismo moderado.

Os 35.7 pontos do índice observados em Novembro deste ano situam-se mesmo abaixo da média observada nos últimos cinco anos (37.5).

As diferenças de género persistem, com as mulheres a revelarem-se mais pessimistas do que os homens. A população masculina manteve uma expectativa mais optimista, tendo subido entre Outubro e Novembro 2.4%, chegando a este último mês com um índice de 41.1. Já no que diz respeito à população feminina, ela permanece mais pessimista, obtendo em Novembro um índice de 30.4 (menos 6.1%, relativamente a Outubro).

Analisando este índice por idades, observam-se quebras nos grupos populacionais mais jovens e nos mais idosos. A população mais jovem (entre os 18 e os 34 anos) é a mais optimista, com 41.1. Ainda assim, este valor significou uma quebra mensal da expectativa de 6.3%. A população entre os 35 e os 54 anos atingiu em Novembro um índice de expectativa de 36.2 pontos, mais 3.9% face a Outubro, sendo também o valor mais elevado desde Maio. Já população com mais de 55 anos não vai além dos 29.5 pontos, tendo o índice descido entre Outubro e Novembro 0.5%.

Em Novembro, mantiveram-se as diferenças de expectativa entre a população cuja intenção de voto é PS e a população cuja intenção de voto é PSD. No primeiro grupo o índice atingiu os 58.6 pontos, o valor mais elevado desde Julho. Já no segundo grupo, o índice de expectativa foi de 31.3, o mesmo valor apresentado em Outubro.

Observando a distribuição do Índice de Expectativa por Região Marktest, verifica-se que a região mais optimista é a Grande Lisboa; contudo, os 40.1 pontos apresentados em Novembro significaram uma quebra mensal de 8.3%. A região com o segundo maior índice de expectativa foi o Grande Porto, com 37.2. Já o Litoral Centro apresentou um índice de 35.5, sendo também a região com maior crescimento mensal em termos de índice de expectativa (16.6% entre Outubro e Novembro). Seguiu-se o Interior Norte, com um índice de expectativa de 34.7 e o Litoral Norte com 33.4. Esta última região protagonizou a maior quebra mensal: -19.7%. A região mais pessimista é a região Sul, com 32.1 pontos; no entanto, é de salientar que este valor significou uma subida de 13.4% relativamente a Outubro.

O Índice de Expectativa consta no Barómetro Marktest/DN/TSF, que é realizado regularmente junto dos residentes no Continente com 18 e mais anos. Este índice resulta do tratamento das respostas dadas a duas questões: "Pensa que daqui a um ano a sua situação económica e pessoal e a do seu agregado familiar será Melhor, Igual ou Pior?" e "E em relação à situação económica do país, pensa que daqui a um ano ela será Melhor, Igual ou Pior?".

Consulte a Ficha Metodológica deste Barómetro. Para mais informações sobre este assunto, contacte-nos

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais