Expectativa recupera um pouco

Após a quebra verificada entre Março e Abril, o índice de expectativa volta a dar sinal de alguma recuperação, segundo os dados do Barómetro Político Marktest/DN/TSF de Maio.

Grupo Marktest,  1 junho 2006

Os resultados de Maio do Barómetro Marktest/DN/TSF indicam que os portugueses continuam pessimistas quanto à evolução futura da sua economia pessoal e do país. O índice atingiu os 32.4, muito abaixo do limite de 50, que separa expectativas optimistas de pessimistas, embora tenha subido ligeiramente face ao mês anterior.

A população feminina mantém-se mais pessimista do que a masculina, com índices de 29.3 e 35.5, respectivamente.

A população com mais de 65 anos foi o escalão etário que mais aumentou em termos de índice de expectativa, chegando a Maio com 27.6, o que correspondeu a um aumento de 27% face ao mês anterior. O índice de expectativa também subiu na população cujo escalão etário se encontra entre os 35 e os 54 anos (de 29.2 em Abril para 30.9 em Maio, o que significou um aumento de 6%). A população mais jovem (entre os 18 e os 34 anos) foi o único escalão etário onde o índice de expectativa desceu: entre Abril e Maio este índice passou de 41 para 38.6 (um decréscimo de 6%). Mesmo assim, os jovens mostram-se os menos pessimistas.

Analisando os dados por intenção de voto, os eleitores cuja intenção de voto é PS têm sido mais optimistas do que aqueles cuja intenção de voto é PSD. De facto, desde Janeiro de 2005, o índice de expectativa do primeiro grupo tem sido sempre mais elevado do que o verificado no segundo grupo.

Em Maio, e apesar de o índice de expectativa subir nos dois grupos em análise, esta recuperação foi mais acentuada naqueles que tencionam votar PS (de 43.6 em Abril para 51.3, regressando ao optimismo moderado, o que não se verificava desde Março). Entre aqueles que tencionam votar PSD, o índice não foi além de 27.6, ainda assim uma subida de 7.4% relativamente ao mês de Abril.

No que respeita às regiões Marktest, o Litoral Norte foi em Maio o menos pessimista com um índice de 36 (o que correspondeu a uma subida de 7% relativamente ao mês anterior). Seguiu-se a região Sul com um índice de 35.3. Foi também nesta região que se verificou a maior subida em termos percentuais (17% entre Abril e Maio).

A Grande Lisboa e o Grande Porto ficaram, respectivamente, em terceiro e quarto lugar, com um índice de expectativa de 33.3 e 32.7. De salientar a quebra ocorrida no Grande Porto entre Abril e Maio (-8.6%).

Abaixo do valor 30 encontram-se as regiões do Litoral Centro e do Interior Norte, com um índice 29.5 e 28.8, respectivamente. A região do Interior Norte foi assim a que apresentou em Maio as expectativa mais pessimistas.

O Barómetro Marktest/DN/TSF é realizado regularmente junto dos residentes no Continente com 18 e mais anos, do qual resulta o Índice de Expectativa. Consulte a Ficha Metodológica deste Barómetro.

Para mais informações sobre este assunto, contacte-nos

Arquivo de notícias

Em Agenda ver mais